PUBLICIDADE
Notícias

Concessionária de Viracopos admite atraso em obras

19:30 | 07/05/2014
A concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, admitiu publicamente nesta quarta-feira, 7, que vai conseguir entregar completamente concluída apenas uma das quatro grandes obras que estavam previstas no contrato de concessão, assinado em fevereiro de 2012, com o governo federal.

Em nota, a Aeroportos Brasil Viracopos - formada pela Triunfo Participações, UTC Participações, Infraero e Egis Airport Operation - informou que apenas as adequações da pista de pousos e decolagens e das pistas de taxiamento já existentes estarão 100% prontas no dia 11

- data estipulada para entrega do novo terminal de passageiros.

O novo terminal, que terá capacidade para até 22 milhões de passageiros por ano, está com 92% das obras concluídas. O edifício-garagem com capacidade para 4 mil vagas, outro item contratual, está com 95% da estrutura montada e o novo pátio de aeronaves (com 37 posições) e as novas pistas para taxiamento de aviões estão com 97% das obras concluídas.

Pelo contrato, se a obra não for entregue dentro do prazo, a multa prevista é de R$ 150 milhões, mais R$ 1,5 milhão por dia de atraso. Na próxima semana, técnicos da Secretaria de Aviação Civil devem vistoriar os três primeiros aeroportos concedidos pelo governo federal em 2012 (Viracopos, Cumbica, em Guarulhos, e JK, em Brasília).

Na nota, a concessionária ressalta que "apesar do pequeno atraso nas obras", Viracopos estará preparado para receber as sete delegações da Copa do Mundo que usarão o terminal como base.

Como o jornal "O Estado de S. Paulo" havia informado, o novo terminal de passageiros funcionará com apenas um terço de sua estrutura durante a Copa. Só os voos das delegações de seleções, de autoridades e da TAP - que opera voos semanais para Portugal - usarão a estrutura. Voos domésticos da Azul, TAM e Gol serão realizados no antigo terminal.

Dos três piers do novo terminal, apenas um estará funcionando, o resto continuará em obras. Oficialmente a concessionária não confirma, mas o grupo negocia com a Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC) a aplicação de multa proporcional ao atraso. O valor da multa e se ela será aplicada só serão divulgados após as vistorias do órgão.

Mudança

A transferência das operações das companhias aéreas brasileiras será feita após a Copa, com prazo final até outubro. A concessionária informou que acertou essa mudança com as companhias Azul, TAM e Gol.

TAGS