PUBLICIDADE
Notícias

Alimentos e Transportes reduzem alta do IPCA em abril

10:20 | 09/05/2014
A redução no ritmo de alta dos preços dos alimentos e de transportes foi responsável pela desaceleração na inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) na passagem de março para abril, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O grupo Alimentação e Bebidas passou de um aumento de 1,92% em março para 1,19% em abril, enquanto Transportes saíram de 1,38% para 0,32%. No mesmo período, o IPCA passou de uma variação de 0,92% para 0,67%. Mesmo assim, o aumento dos alimentos ainda foi responsável pelo maior impacto na inflação do mês, de 0,30 ponto porcentual.

Alimentos e bebidas

A desaceleração no ritmo de alta de preços no grupo Alimentação e Bebidas ocorreu tanto entre os produtos alimentícios consumidos em casa, que passaram de alta de 2,43% em março para aumento de 1,52% em abril, quanto na alimentação consumida fora de casa, que saiu de 0,96% para 0,57%.

Alguns produtos que tiveram altas expressivas em meses anteriores registraram até queda nos preços, como é o caso da mandioca, tomate, cerveja, hortaliças, açúcar cristal e farinha de trigo.

Por outro lado, grande parte dos itens investigados ainda teve aumento de preços, como a batata inglesa, feijão, carne seca e de sol, sorvete, ovo de galinha, óleo de soja, leite longa vida, pescados, frango em pedaços, açúcar refinado, carnes, café moído, cerveja fora, refrigerante, lanche, frutas e refeição fora de casa.

Passagens aéreas

As passagens aéreas ficaram mais baratas em abril, ajudando a desacelerar o IPCA em abril. As tarifas caíram 1,87%, após terem registrado uma alta de 26,49% no mês anterior. O movimento foi a principal causa da redução na taxa do grupo dos Transportes. Mas também houve contribuição tanto de combustíveis quanto de ônibus e automóveis, que subiram menos.

O etanol saiu de alta de 4,17% em março para aumento de 0,59% em abril. A gasolina passou de 0,67% para 0,43% no período. As tarifas dos ônibus urbanos saíram de uma variação de 0,60% em março para 0,24% em abril, enquanto as tarifas dos ônibus intermunicipais passaram de 0,47% para 0,35%. Também cresceram menos os automóveis: os novos passaram de 0,78% para 0,29%; e usados, de 0,78% para 0,20%.

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada em 12 meses passou de 6,15% em março para 6,28% em abril, maior taxa desde junho do ano passado, quando ficou em 6,70%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como consequência, o indicador se aproximou ainda mais do teto da meta perseguida pelo governo, de 6,5% no ano.

TAGS