PUBLICIDADE
Notícias

Saúde libera recursos para Unidades de Pronto Atendimento

Cidades receberão valores anuais que variam de R$ 1,2 milhão a R$ 3,9 milhões para qualificação e manutenção das unidades

09:09 | 14/04/2014

O Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 14, a liberação de recursos para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24h de cidades de diversos estados brasileiros.

Dentre as localidades que receberão o investimento está Santa Fé do Sul, em São Paulo, que vai receber um montante anual de R$ 1,2 milhão para custeio da UPA. Canindé e São Benedito, ambos no Ceará, também receberão o mesmo valor cada para a manutenção de suas UPAs. Já São Gonçalo do Amarante, também no Ceará, receberá um investimento de R$ 2,1 milhões.

Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, receberá uma transferência de R$ 3 milhões para gestão da UPA Dr. Walfrido Arruda - Coronel Antonino. No Pará, Breu Branco receberá um pouco mais de R$ 1,5 milhão, divididos em parcelas de R$ 130 mil mensais, para manutenção da Unidade Manoel Francisco de Aguiar.

O Ministério divulgou também um lista de localidades que terão o sistema de UPAs qualificado. Entre elas estão Engenho Novo, no Rio de Janeiro, que receberá R$ 2,4 milhões para qualificar sua unidade. Porto Alegre (RS) também receberá o investimento em parcelas mensais de  R$ 250 mil, somando R$ 3 milhões de reais. Cuiabá, no Mato Grosso, receberá R$ 3,9 milhões e Aparecida de Goiânia (GO) leva R$ 3 milhões para qualificar a UPA Brasicon.

As qualificações serão validadas dois anos, podendo ser revogada mediante novo processo de avaliação.

UPA
As UPAs fazem parte da Política Nacional de Urgência e Emergência, lançada pelo Ministério da Saúde em 2003 com o objetivo de integrar a atenção às urgências e desafogar o fluxo nos hospitais públicos. Já são mais de 200 UPAs em todo o Brasil e a meta do governo é investir R$ 2,7 bilhões para a construção de 900 novas UPAs 24h até o final deste ano.

Elas são classificadas da seguinte forma:
UPA Porte I:
tem de 5 a 8 leitos de observação. Capacidade de atender até 150 pacientes por dia. População na área de abrangência de 50 mil a 100 mil habitantes.

UPA Porte II: 9 a 12 leitos de observação. Capacidade de atender até 300 pacientes por dia. População na área de abrangência de 100 mil a 200 mil habitantes.

UPA Porte III: 13 a 20 leitos de observação. Capacidade de atender até 450 pacientes por dia. População na área de abrangência de 200 mil a 300 mil habitantes.

Em sua estrutura, a Unidade conta com equipamentos de raio-X, eletrocardiografia, laboratório de exames e leitos de observação, e soluciona em média 97% dos casos. Ao chegar a uma UPA, o paciente é assistido e pode ser tratado na própria unidade ou, conforme o caso, encaminhado a um hospital ou para a atenção básica.

Portal Brasil

TAGS