PUBLICIDADE
Notícias

Beneficiários cearenses do Bolsa Família são os que mais solicitam crédito para empreender

20:49 | 22/04/2014
Em todo o Brasil, os cearenses que recebem benefício do Bolsa Família são os que mais solicitam microcrédito para empreender, por meio do Programa Crescer, do Governo Federal. No Estado, foram 923.552 operações realizadas por pessoas do Bolsa Família, de setembro de 2011 a dezembro de 2013, segundo dados mais recentes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Esse número corresponde a mais de um terço de todas as operações realizadas no período no País (2.776.341).

De acordo com o secretário extraordinário para Superação da Extrema Pobreza do MDS, Tiago Falcão, essa liderança é resultado da expertise do Banco do Nordeste (BNB) e dos próprios beneficiários, “que se mostraram excelentes pagadores, se organizam em grupos, exercendo apoio mútuo e mostrando o dinamismo nas operações. O resto do País tem que aprender com o Ceará”, afirmou.

O secretário presidirá nesta quarta, 23, a abertura da Oficina Regional de Inclusão Produtiva Urbana – Região Nordeste, evento que segue até quinta em Fortaleza. Ele apresentará o balanço regional do Plano Brasil Sem Miséria. Gestores estaduais e de 42 municípios que trabalham diretamente no processo de inclusão produtiva do Bolsa Família devem integrar o encontro.

“A gente traz experiências de sucesso dos estados e municípios no sentido de melhorar e aperfeiçoar as estratégias. Vamos fazer um balanço dos três anos do Plano Brasil Sem Miséria, mostrando avanços e desafios do Nordeste, e definir uma agenda direcionada para as famílias”, explica Falcão.

No Ceará, atualmente, 1,1 milhão de famílias recebem o Bolsa Família. Segundo o secretário do MDS, são repassados mensalmente R$ 175 milhões ao Estado. “Isso significa R$ 1,9 bilhão que são injetados na economia cearense por ano. São mais de 2 milhões de pessoas fora da extrema pobreza extrema pobreza por conta de alterações implantadas no Bolsa Família a partir do Plano Brasil Sem Miséria”, avalia. O desafio, afirma, é encontrar as famílias que ainda estão desassistidas dos programas.

O programa Crescer compõe o eixo de Inclusão Produtiva Urbana do Plano Brasil Sem Miséria, programa federal lançado em 2011 com o objetivo de superar a extrema pobreza. Sâo três eixos de atuação: garantia de renda (com o Bolsa Família); inclusão produtiva (qualificação da população e incentivo ao empreendedorismo); e acesso a serviços.

Para participar, é necessário integrar o Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal. Segundo o secretário, no Ceará, 66 mil famílias foram identificadas por meio do programa Busca Ativa, em que equipes de assistência social localizam, identificam e realizam cadastro.

Outra ação do Brasil Sem Miséria destacada por Tiago Falcão são os cursos do Pronatec. No Ceará, já foram realizadas mais de 64,2 mil matrículas em 126 municípios em dois anos. Neste primeiro semestre, estão sendo abertas mais 40,8 mil vagas em 165 cidades cearenses. Em Fortaleza, são 5.272 vagas em 75 cursos.

“Essa combinação de cursos mais atrativos, direcionados para quem tem baixa escolaridade, realizados por instituições de renome (Senac, Senai, Senar e Senat), mais a assistência social de alimentação, transporte e materiais escolares, promovida pelo governo, tem aumentando a procura”, afirma.

Serviço

Oficina Regional de Inclusão Produtiva Urbana – Região Nordeste
Onde: Ponta Mar Hotel - Avenida Beira Mar, 2200

Viviane Sobral

TAGS