PUBLICIDADE
Notícias

Treze instituições financeiras têm nota de crédito rebaixada

12:50 | 26/03/2014

A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) reduziu, nesta quarta-feira (26), a nota de crédito em escala global de 13 instituições financeiras brasileiras, em função do rebaixamento da nota soberana do país, anunciada na segunda-feira (24), que passou de BBB para BBB-.

A avaliação visa a verificar a capacidade de a empresa pagar dívidas em curto, médio e longo prazo. A nota atribuída ao Brasil tem perspectiva neutra, o que indica que a classificação não será rebaixada nos próximos meses. As novas notas das instituições financeiras são estáveis.

As empresas rebaixadas foram Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú Unibanco, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Bradesco, Itaú BBA, Citibank, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Santander, Sul América, Sul América Companhia Nacional de Seguros e Allianz Global.

Segundo o vice presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef-CE), Ênio Leão, o rebaixamento das empresas é reflexo do ocorrido com o  Brasil, não necessariamente simbolizando um prejuízo para as instituições. Ele afirma que se trata de uma adequação das empresas à realidade do País. “O mercado já havia percebido indícios de que haveria o aumento do risco no Brasil, por isso não houve piora na bolsa nem no câmbio”.

José Maria Porto, economista da Valorize Consultoria Empresarial, explica que o aumento do risco tende a se propagar para outras empresas, ocasionando o aumento dos juros a serem pagas por elas ao investidor, entre outros efeitos negativos. “Quanto maior o risco, menor tende a ser o interesse do investidor, e maiores são as dificuldades para a captação de recursos no exterior”, diz.

A classificação atribuída ao Brasil (BBB-) é a mais baixa no quesito “grau de investimento”. Caso a nota chegue a cair mais, o Brasil se encontrará no “grau especulativo”, onde há grande possibilidade de calote.

A Standard & Poor's também informou que colocou em observação com implicações negativas o rating(nota) global de 17 instituições financeiras e a nota em escala nacional de 26 instituições. Essas implicações negativas indicam possibilidade de corte da nota no futuro.

Redação O POVO Online

TAGS