PUBLICIDADE
Notícias

Ex-OGX faz leilão de computador a xícara

20:50 | 07/03/2014
Depois de demitir funcionários e abandonar a suntuosa sede no Edifício Serrador, no Centro do Rio, a petroleira �leo e Gás Participações (ex-OGX) decidiu leiloar equipamentos, móveis e utensílios de escritório. A companhia do grupo do empresário Eike Batista colocou à venda desde computadores até xícaras personalizadas com o emblema da petroleira (ainda dos tempos de OGX), em uma clara evidência de que a empresa, em recuperação judicial, está bem mais enxuta desde que mudou de sede.

São 718 lotes, que incluem um ou mais itens. Os lances iniciais vão de R$ 20 até R$ 500 por lote. A lista, disponível no site de leilões online Sold, ainda inclui notebooks, frigobares, mesas, cadeiras, telefones, sanduicheiras, pratos, cafeteiras e garrafas térmicas, copos, lixeiras, persianas e móveis de escritório. Os valores pedidos no lance inicial ficam bem abaixo do cobrado pelo varejo.

Com a derrocada das empresas �X�, a petroleira deixou os seis andares que ocupava no luxuoso Edifício Serrador e se estabeleceu em três andares de um prédio na Rua do Passeio no início de fevereiro deste ano. Hoje, cerca de 160 pessoas são responsáveis pelas funções administrativas da empresa. No auge, eram 350.

Muitos móveis e utensílios ficaram ociosos por causa do esvaziamento do quadro de funcionários e do espaço menor disponível. O leilão evita que os objetos sejam simplesmente descartados pela companhia. A OGpar não quis comentar o assunto.

Pela soma dos lances mínimos, a renda obtida com o leilão poderia superar R$ 76 mil. Até a tarde de ontem, a arrecadação já estava em R$ 75.940, de acordo com os lances já realizados, sem descontar a comissão do leiloeiro. O valor pode alcançar cifras maiores, já que 267 lotes ainda não tinham nenhum interessado.

O maior lance efetuado até hoje era de R$ 2.020 por um móvel do tipo arquivo deslizante, usado em bibliotecas. Entre os menores, R$ 20 por um lote de dois telefones e R$ 30 por um conjunto de xícaras com o nome da OGX gravado sobre a porcelana.

O leilão foi aberto para lances no dia 27 de fevereiro e será finalizado na próxima quarta-feira. Aos interessados, a empresa permite visitação prévia, que precisa ser agendada. Essa opção é aconselhada pela própria companhia, para que ninguém saia insatisfeito com os objetos, que são usados e não têm garantia.

Trajetória

A OGX entrou com pedido de recuperação judicial no fim de outubro do ano passado, em meio à crise de confiança que atingiu a companhia. A petroleira de Eike Batista, que foi rebatizada de �leo e Gás Participações (OGpar) em dezembro, começou a enfrentar problemas em junho de 2012, ao anunciar produção abaixo da expectativa. No fim de 2013, a empresa fechou um acordo com os grandes detentores dos títulos da sua dívida bilionária. O acerto previu a injeção de novos recursos na companhia por investidores internacionais e a conversão da dívida de cerca de US$ 5,8 bilhões em participação acionária.

TAGS