PUBLICIDADE
Notícias

Desemprego cresce para 5,1% em fevereiro, aponta o IBGE

09:30 | 27/03/2014
A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 5,1% em fevereiro, mostra a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do instituto. Em janeiro, a taxa foi de 4,8%.

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (de 4,9% a 5,4%), e em linha com a mediana projetada, de 5,1%. A taxa de 5,1% foi a mais baixa para o mês desde o início da série histórica da pesquisa, em março de 2002.

A população desocupada somou 1,2 milhão de pessoas no País em fevereiro, um aumento de 6,9% ante janeiro, o equivalente a 80 mil pessoas a mais sem emprego. Em relação a fevereiro de 2013, houve queda de 8,3%, ou 113 mil desocupados a menos.

Já a população ocupada totalizou 23 milhões em fevereiro, uma queda de 0,6% em relação a janeiro, o equivalente a 137 mil vagas. Na comparação com fevereiro de 2013, houve estabilidade estatística, com 2 mil postos de trabalho ocupados a mais.

O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado foi de 11,7 milhões, uma queda de 0,7% em relação a janeiro, com a eliminação de 83 mil vagas formais. Na comparação com fevereiro de 2013, houve aumento de 1,7%, com 200 mil vagas com carteira assinada a mais.

Rendimento

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou variação positiva de 0,8% em fevereiro ante janeiro e aumento de 3,1% na comparação com fevereiro de 2013.

A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 47,1 bilhões em fevereiro, um aumento de 1,0% em relação a janeiro. Na comparação com fevereiro de 2013, a massa cresceu 4,1%. Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 47,7 bilhões em janeiro, uma queda de 16,7% em relação a dezembro de 2013.

Na comparação com janeiro de 2013, houve aumento de 5,8% na massa de renda efetiva. O rendimento médio real dos trabalhadores em fevereiro foi de R$ 2.015,60, contra R$ 2.000,53 em janeiro.

TAGS