PUBLICIDADE
Notícias

Cetip não vê COE competindo com CDB e LCI

10:30 | 17/03/2014
A Cetip acredita que os Certificados de Operações Estruturadas (COE) não deverão competir diretamente com outros instrumentos tradicionais de captação bancária, como os Certificados de Depósito Bancário (CDB) e as Letras de Crédito Imobiliário (LCI). Segundo o gerente executivo de Desenvolvimento de Negócios da Cetip, Fábio Zenaro, o volume desse mercado não é grande perto do CDB, por exemplo, no entanto é mais uma alternativa para os bancos.

No Brasil, o volume de operações com características semelhantes soma aproximadamente R$ 8 bilhões, de acordo com projeções da Cetip. Por outro lado, o volume hoje de CDB é muito superior, lembrou Zenaro.

A emissão de COE é permitida no mercado brasileiro desde o dia 6 de janeiro deste ano, sendo que no primeiro mês as emissões registradas na Cetip superaram os R$ 200 milhões em mais de 240 negócios.

Segundo Zenaro, considerando a movimentação desde o primeiro dia em que a emissão desse instrumento foi permitida, o volume registrado na Cetip já chegou a R$ 850 milhões, sendo que a expectativa da companhia é que o montante emitido alcance R$ 1 bilhão ainda neste mês. Ao todo, foram feitos 2.900 negócios até aqui, disse.

Do ponto de vista do investidor, Zenaro afirmou que uma das vantagens do COE é a possibilidade de diversificação da carteira, flexibilização para adequação ao perfil do cliente e acesso a ativos mais restritos, segundo ele.

A Cetip foi a primeira companhia apta a registrar o COE no Brasil, mas hoje a BM&FBovespa também realiza esses registros, sendo que a primeira emissão registrada aconteceu na semana passada.

Zenaro participa na manhã de hoje de evento do Instituto Brasileiro de Direito Empresarial (Ibrademp) sobre o COE.

TAGS