PUBLICIDADE
Notícias

Tesouro britânico reforça necessidade de cortar gastos

16:29 | 22/01/2013
George Osborne e Danny Alexander, as duas principais autoridades do Tesouro do Reino Unido, reforçaram hoje a necessidade de departamentos do governo buscarem poupar gastos, principalmente por meio de divisão de serviços, segundo informou o porta-voz do primeiro-ministro David Cameron. "É um processo de buscar reformar serviços públicos o máximo possível para atingir mais com menos", disse o porta-voz.

Osborne, ministro de Economia do país, e Alexander, secretário do Tesouro, divulgaram a mensagem em uma reunião de gabinete. Eles visam adiantar o processo para incluí-lo no orçamento do ano financeiro de 2015/2016. Não houve especificações relacionadas às áreas em que a redução de gastos pode ser realizada, mas o governo deixou claro que haverá mais cortes nos gastos dos departamentos como parte de seu programa de austeridade para reduzir o déficit orçamentário do país, disse o porta-voz.

A notícia vem após o Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês) do Reino Unido ter divulgado que o governo do país tomou mais empréstimos do que o esperado em dezembro. Os empréstimos líquidos do setor público, que são a medida preferida do governo sobre o déficit orçamentário, aumentaram para 15,4 bilhões de libras (US$ 24,4 bilhões), de 14,8 bilhões de libras em dezembro de 2011.

O porta-voz de Cameron afirmou que a discussão no gabinete se focou em reformas, "mas também existe o reconhecimento de que o governo terá de continuar a tomar decisões difíceis". As informações são da Dow Jones.

TAGS