PUBLICIDADE
Notícias

Setor de serviços começa 2013 mais confiante

Dentre os segmentos do setor, os serviços de transportes tiveram os maiores percentuais no índice de confiança

14:50 | 31/01/2013
O Índice de Confiança de Serviços (ICS), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), iniciou 2013 em alta, com um crescimento de 1,1% na comparação de janeiro deste ano com dezembro de 2012. O setor de serviços está mais otimista em relação ao momento atual, medido pelo subíndice da situação atual, que cresceu 4,2% entre dezembro e janeiro.

O crescimento é resultado de uma melhor avaliação em relação à demanda atual por serviços. O percentual de empresas que percebem o volume de demanda atual como forte aumentou de 16,5% para 18,2% de dezembro para janeiro, enquanto aquelas que o consideram fraco recuaram de 20,3% para 16,6%.

De acordo com o levantamento, o aumento da confiança em janeiro, na comparação com o mês anterior não foi generalizado atingindo seis das sete atividades pesquisadas. Os destaques por segmentos foram aos serviços de transporte rodoviário (7,3%), transportes (2,6%), Serviços prestados às empresas (1,7%), atividades imobiliárias (1,0%).

Para Sílvio Sales, consultor da FGV, o resultado também pode ser relacionado ao estímulo que a economia vem sofrendo a fim de que sua dinâmica seja mantida. Entre as ações do governo nesse sentido ele cita as desonerações dos materiais de construção e as reduções das taxas de juros no setor bancário.

“O setor de serviços é o segmento mais importante do Produto Interno Bruto (PIB). E vem aumentando sua expansão no aumento da capacidade de consumo da população”.

Já em relação aos próximos meses, os empresários do setor de serviços estão menos confiantes. O subíndice de expectativas caiu 1,2% de dezembro para janeiro. A queda foi provocada justamente pelo menor otimismo em relação à demanda futura. Apesar do resultado, Sílvio coloca que o percentual se encontra dentro da média histórica e a tendência deva ser que haja uma continuidade de uma trajetória moderada da recuperação do setor.

A proporção de empresas que preveem aumento da demanda caiu de 47,3% em dezembro de 2012 para 46,1% em janeiro deste ano. Já o percentual daquelas que esperam diminuição da demanda aumentou de 3,5% para 5,7% no período.

A sondagem realizada pela FGV possui caráter nacional, levando em consideração o setor de serviços em todo o País. A fundação estuda, de acordo com Sílvio, com a possibilidade de trabalhar resultados regionais em breve. Com informações da Agência Brasil.

Redação o POVO Online

TAGS