PUBLICIDADE
Notícias

Recuo na produção industrial foi pontual, diz corretora

12:40 | 04/01/2013
A queda na produção da indústria brasileira em novembro foi pontual e provocada por uma antecipação das compras por parte de consumidores que correram às lojas em outubro para aproveitar isenções fiscais a determinado grupo de produtos, informou o economista da Votorantim Corretora Alexandre Andrade. O economista diz que esse quadro mostra que a recuperação da indústria ainda é frágil, mas com perspectiva positiva para o primeiro semestre de 2013.

Andrade explica ainda que os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a recuperação da indústria brasileira está apoiada em segmentos beneficiados com corte de impostos, como o de eletrodomésticos da linha branca e o de automóveis. Em outubro, esses produtos tinham o benefício de tarifas reduzidas de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o que atraiu os brasileiros a antecipar compras de novembro. "Outubro era o último mês de vigência do IPI reduzido, isenção que só foi estendida no final do mês", lembra Andrade. "No período posterior à medida é natural que ocorra um efeito ressaca, porque desloca o consumo", afirma.

O economista fala em retomada da produção industrial, mesmo com as quedas de 0,6% em novembro ante outubro e de 1% em comparação ao mesmo mês de 2011. "Quando olhamos o comportamento da média móvel trimestral vemos crescimento em agosto, setembro e outubro. O resultado de novembro é pontual", diz.

Para ele, a tendência é de que o crescimento da produção se espalhe para outros segmentos da indústria ao longo do primeiro semestre. A projeção da Votorantim Corretora é de alta da produção industrial entre 1% e 1,5% no primeiro trimestre ante o último de 2012.

TAGS