PUBLICIDADE
Notícias

Não há nada definido quanto a reajuste na gasolina

secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda descarta reajuste; Michel Temer, entretanto, diz que governo avalia possibilidade de reajuste

13:23 | 16/01/2013

Atualizada às 18:44

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Antônio Henrique Silveira, disse não haver ainda informações sobre reajustes no preço da gasolina. Entretanto, o reajuste, segundo ele, é “plausível”, pois há defasagem no preço do produto de, aproximadamente, 7%.

Silveira lembrou que, no final do ano passado, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu que haveria aumento no preço da gasolina em 2013. Ao ser questionado sobre um possível anúncio na próxima semana, o secretário frisou não haver data para que isso ocorra.

Evitando fazer previsões sobre o impacto da medida na inflação, ele afirmou apenas que isso dependerá da data e do percentual do reajuste, afirmou.

Sobre o aumento na mistura de etanol na gasolina, atualmente em 20%, ele disse que o ideal é que alterações neste sentido sejam feitas “quando entrar a safra, a partir de abril”. Justificando que o mais adequado seria dar segurança ao abastecimento. O aumento da mistura do etanol na gasolina seria uma das medidas que poderiam compensar uma eventual alta no preço do combustível fóssil nas bombas.

 

Reunião

Em reunião ocorrida na tarde desta quarta-feira, 16, com a a presidente da Petrobras, Graça Foster, o vice-presidente da República, Michel Temer, confirmou que o governo avalia a possibilidade de reajustar os preços dos combustíveis.

Temer não deu detalhes sobre quando e como a alta irá acontecer. De acordo com ele, o governo estaria estudando o caso. Ainda segundo Temer, Graça apresentou dados sobre o abastecimento de gás no País. Com informações do Valor Econômico.

Redação O POVO Online

TAGS