PUBLICIDADE
Notícias

Inflação Oficial de Fortaleza fecha 2012 em 6,7%

09:39 | 10/01/2013
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2012 em 6,7% em Fortaleza. No País, a taxa foi de 5,84%, abaixo dos 6,50% relativos ao ano anterior. Dos grupos pesquisados, o mais elevado foi o das despesas pessoais, que atingiu 10,17%, enquanto o mais baixo foi o grupo transportes, com 0,48%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

O IPCA subiu 0,79% em dezembro, ficando acima da taxa de novembro (0,60%) em 0,19 ponto percentual. É o maior IPCA mensal desde março de 2011, quando atingiu a mesma taxa de 0,79%, e o maior índice dos meses de dezembro desde 2004, quando a taxa foi de 0,86%.

Pelos serviços dos empregados domésticos, as famílias passaram a pagar 12,73% a mais no ano passado. O item foi líder na relação dos principais impactos individuais no ano, com 0,45 ponto percentual. Além dos salários dos empregados, as principais altas que levaram as despesas pessoais (10,17%) ao topo de resultados de grupos foram cigarro (25,48%); excursão (15,25%); manicure (11,73%); hotel (9,39%); costureira (7,42%); e cabeleireiro (6,80%).

Foi forte a pressão dos alimentos consumidos fora do domicílio, cujos preços se elevaram em 9,51% em 2012, seguindo a alta de 10,49% de 2011, embora menos intensa. O item refeição fora, que aumentou 8,59%, exerceu o segundo principal impacto individual no IPCA do ano, com 0,41 ponto percentual, embora todos os itens relativos à alimentação fora tenham aumentado.

Já os alimentos consumidos no domicílio ficaram 10,04% mais caros em decorrência, principalmente, de problemas climáticos e subiram bem mais do que os 5,43% de 2011. O açúcar cristal (-8,74%) e o refinado (-3,22%) e as carnes (-0,67%) se destacam entre os produtos que ficaram mais baratos em 2012.

Redação O POVO Online

TAGS