PUBLICIDADE
Notícias

Dilma autoriza realização de licitações para exploração de petróleo e gás

De acordo com o monistro de Minas e Energia, Edison Lobão, o País passará a explorar o gás de xisto e que uma licitação especial deverá ser feita até dezembro deste ano

17:01 | 10/01/2013
A presidente Dilma Rousseff reuniu-se na manhã desta quinta-feira,10, com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão para discutir a exploração de gás e petróleo no país. Na audiência, a presidenta assinou as disposições legais para a autorização da 11ª rodada de licitações de blocos exploratórios de petróleo e autorizou o cancelamento da 8ª rodada, suspensa desde 2009.

Em coletiva, Lobão destacou que o país passará a explorar o gás de xisto e que uma licitação especial deverá ser feita até dezembro deste ano. Sobre possível crise no setor elétrico, o ministro disse que o assunto não foi discutido e garantiu que o País está produzindo energia dentro da necessidade brasileira.

Segundo Lobão, a data divulgada no final de setembro do ano passado para a realização da 11ª rodada de licitações, maio de 2013, será mantida. Entretanto, a quantidade de blocos, que estão divididos entre terra e mar, sofreu uma redução e passou de 174 para 172 devido a questões ambientais. Em novembro, serão realizados novos leilões, incluindo pela primeira vez a região do pré-sal.

A questão dos royalties não deve ser impedimento para os leilões, segundo o ministro. "A discussão no Congresso não terá influência. A lei foi aprovada, a presidenta vetou partes e agora está em vigência", disse Lobão.

Para o ministro, a exploração do gás de xisto deverá receber destaque em 2013. A intenção será descentralizar a área de exploração. As bacias do Parnaíba, nos estados do Maranhão, do Piauí e Tocantins; do São Francisco, em Minas Gerais e na Bahia; do Recôncavo, também na Bahia; e do Paraná, que compreende faixa que vai do Rio Grande do Sul a Mato Grosso, participarão das licitações.

Segundo a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, também presente à coletiva, recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) desde 2007 favorecem a exploração do solo brasileiro. "Precisamos nos apoderar do subsolo do nosso país", disse. Com informações da Agência Brasil.

Redação O POVO Online

TAGS