PUBLICIDADE
Notícias

Apenas bens de capital elevaram importações em 2012

15:49 | 02/01/2013
A única categoria de uso a registrar aumento nas importações no ano de 2012 foi a de bens de capital, segundo números divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As compras externas de bens de capital tiveram alta de 1,5% no ano passado, comparativamente a 2011, e totalizaram US$ 48,621 bilhões.

As importações de combustíveis e lubrificantes recuaram 2,4% no ano, para US$ 35,312 bilhões. Esse resultado pode estar defasado, uma vez que a Petrobras tem até 50 dias após o embarque para registrar a operação. As importações de petróleo diminuíram 4,8% e somaram US$ 13,405 bilhões, e as dos demais combustíveis caíram 0,8%, para US$ 21,907 bilhões.

As importações de bens de consumo diminuíram 1,8%, totalizando US$ 39,374 bilhões. Os bens de consumo não-duráveis tiveram alta de 7,3% nas importações, para US$ 17,151 bilhões. Já os bens de consumo duráveis apresentaram queda de 7,8%, para US$ 22,223 bilhões. O destaque ficou com automóveis, cujas importações caíram 19,5%, para US$ 9,567 bilhões. As compras externas de matérias-primas e bens intermediários caíram 2,2% e atingiram US$ 99,835 bilhões.

Mercados

Por mercados fornecedores, as importações com origem na Europa Oriental caíram 20,6%. As compras com origem na África recuaram 7,6%; seguida por Estados Unidos (-4,8%); Mercosul (-1,9%); e Ásia (-1,7%).

Os mercados que mais aumentaram suas vendas para o Brasil foram Oriente Médio, com alta de 20,4%; América Latina e Caribe, exceto Mercosul, com crescimento de 7,7%; e União Europeia, com elevação de 2,7%.

Os principais países de origem das importações foram China, com US$ 34,2 bilhões; Estados Unidos, com US$ 32,6 bilhões; Argentina, com US$ 16,4 bilhões; Alemanha, com US$ 14,2 bilhões; e Coreia do Sul, com US$ 9,1 bilhões.

TAGS