PUBLICIDADE
Notícias

Impasse sobre dias parados emperra acordo da construção civil

Empresários do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon- CE) analisam a proposta que será enviada ao sindicato laboral na manhã desta quarta-feira, 30

08:53 | 30/05/2012

Atualizada às 10h20

Depois de 23 dias de greve dos trabalhadores da construção civil, o maior impasse para o acordo é a compensação dos dias parados. Na manhã desta quarta-feira, 30, empresários do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon- CE) analisam a proposta que será enviada ao sindicato laboral. A reunião, que deveria ser encerrada às 10h, foi adiada para às 13h.

Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (Sticcrmf), há a possibilidade de negociação, mas descontos de dias parados não serão assinados em um futuro acordo.

“Há um impasse sobre os dias parados. O Sindicato está aberto a negociar a compensação dos dias parados de acordo com a realidade de cada empresa em particular ou em bloco, mas não aceita colocar no texto os descontos dos dias parados”, destacou a assessoria de imprensa do Sticcrmf.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), Roberto Sérgio, disse que ainda está acontecendo a negociação e que os representantes das construtoras estão reunidos para analisar as propostas.

"Ainda não chegamos a um acordo. Estamos em uma assembleia geral nossa para discutir os fatos que ocorreram na Assembleia (Legislativa) ontem".

Redação O POVO Online

TAGS