PUBLICIDADE
Notícias

Cid vai a Miami em busca de data center

19:51 | 27/02/2012

O governador Cid Gomes estará nesta quarta-feira, 29, em Miami, na Flórida (EUA). Vai à sede da empresa Terremark com uma missão: captar para Fortaleza o novo Centro de Troca de Dados da América Latina da companhia. As negociações já foram iniciadas. O empreendimento prevê a passagem de três novos cabos submarinos de última geração entre a Flórida e o Ceará, além da construção de "data center" de 10 mil metros quadrados na Capital, em local não definido.

Hoje, o "data center" que realiza a troca de dados entre as américas fica em Miami. Funciona como motor da Internet para os operadores de rede da América Latina. Mais de 180 operadores de telecomunicações estão conectados neste centro de dados. Lá estão grandes provedores de serviços, como Google, Facebook e Yahoo.

O presidente da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), Fernando Carvalho, embarca junto com o governador e vê no investimento potencial para novos negócios. “Gravitam localmente em torno de um Centro de Dados desse porte diversas atividades, serviços e empresas cujo insumo principal é a informação, estimulando a economia digital”.

A negociação para a escolha de Fortaleza como ponto de chegada dos novos cabos da Terramark começou há apenas um mês, mas a confirmação já é dada como iminente no Governo. Com base em análise técnica, diz Fernando, Fortaleza é considerada o ponto mais adequado. Aqui chegarão os cabos ligando os EUA ao Brasil. De Fortaleza partiria um cabo para o continente africano. Segundo ele, a Telebras seria um consumidor certo dos serviços.

Os atuais cabos de fibra óptica que chegam a Fortaleza já têm certa obsolescência, diz o presidente da Etice. E para se ter uma ideia do que seria o novo investimento da Terramark, a soma de toda a capacidade dos cabos atuais é de apenas 1/10 da capacidade nova a ser instalada.

Em volta dos centros de dados existem empresas provedoras de internet, conteúdo e serviços digitais e, sobretudo, grande quantidade de dados armazenados. “Sem falar de empresas especializadas na prestação de serviços de manutenção de toda ordem, equipamentos de rede, ar condicionado, geradores, fibra ótica, antenas de satélite”, enumera.

Jocélio Leal

[email protected]

 

TAGS