PUBLICIDADE
Notícias

Brincadeira de criança como é bom, como é bom! Confira as 10 que fizeram parte da sua infância

O POVO Online lista 10 brincadeiras mais comuns antigamente

13:32 | 03/06/2016
NULL
NULL

Brincar é tão bom! Relembrar também. Quem não recorda dos velhos tempos, quando brincar na rua ou na calçada de casa era a diversão do dia? São as mais diversas brincadeiras que fizeram parte da formação de quem hoje chegou à idade adulta.

Lembra das mais agitadas e que exigiam um condionamento físico? João atrepa, esconde-esconde, bandeirinha, pega-pega, carimba, sete pecados. E tinham as mais calmas que aconteciam da maneira mais barulhententa possível: amarelinha, adedonha, adoleta, passa anel.

Assim como a geração muda, o tipo de brincadeira também mudou. No entanto, vale rocordar cada momento. O POVO Online lista algumas das brincadeiras antigas mais comuns. Confira:

João atrepa

Um dos participantes é escolhido para ser o pegador. As outras crianças devem correr e não podem ser pegas quando estão no alto - calçada, árvore ou cadeira, por exemplo. Se uma das crianças for pega enquanto estiver no chão, ela vira o próximo a correr.

Esconde-esconde

A brincadeira inclui vários participantes e uma pessoa é escolhida para ficar de olhos fechados contando até certo número combinado com os participantes, geralmente, com o número de pessoas que estão participando. Os demais se escondem. O pegador conta até certo número com os olhos fechados enquanto as pessoas se escondem. As pessoas escondidas têm que voltar ao lugar onde a primeira pessoa contou e bater no ponto de partida, falando: "1,2,3" (Nome de quem bateu), o primeiro a bater devem ficar no lugar do "pegue" começando assim uma nova partida.

Bandeirinha

Esta é uma brincadeira que trabalha a noção de estratégia e trabalho em equipe. Divididas em times, as crianças têm de atravessar o território inimigo e pegar a bandeira do adversário sem deixar que a sua seja roubada. Se um jogador for “pego”, seus colegas se organizam para resgatá-lo sem deixar o objetivo principal de lado.

Pega-pega

Pode ser jogada por um número ilimitado de jogadores e possui inúmeras variantes. De modo geral, o jogo consiste em dois tipos de jogadores, os pegadores e os que devem evitar ser apanhados. Quem for tocado, automaticamente vira o pegador a depender do modo da brincadeira.

Carimba

Para brincar de carimba, duas equipes tentam eliminar a outra por meio da bola. Os participantes devem escolher uma pessoa para soltar a bola, essa pessoa deve jogar a bola e as outras tentam pegá-la ou se defender. Se a bola pegar em alguém, a equipe fica enfraquecida, já que o jogador atingido vai para o lado oposto e tenta escapar, também usando a bola. Usa-se a combinação para não perder. Ganha a equipe que tiver mais participantes em seu território.

Sete pecados

Forma-se um círculo com várias crianças. Uma delas joga a bola para o alto e diz o nome de um dos jogadores. Aquele que foi chamado corre para pegar a bola enquanto os demais se espalham. Quando a criança consegue pegar a bola imediatamente manda todos pararem. Ela dá sete passos e joga a bola na criança parada que estiver mais próxima. Se acertar, a criança pega a bola e joga em outra criança antes que todas entrem no círculo e recomecem a brincadeira. Por fim, quem tiver sete pecados, ou seja, for acertado sete vezes terá de pagar uma "prenda".

Amarelinha

O jogo consiste em pular sobre um desenho riscado com giz no chão. O desenho apresenta quadrados ou retângulos numerados de 1 a 10 e no topo o céu, em formato oval. Tira-se na sorte quem vai começar. Cada jogador, então, joga uma pedrinha, inicialmente na casa de número 1, devendo acertá-la em seus limites. Em seguida pula, em um pé só nas casas isoladas e com os dois pés nas casas duplas, evitando a que contém a pedrinha. Se perder o equilíbrio, colocando a mão no chão ou pisando fora dos limites das casas, o jogador passa a vez para o próximo, retornando a jogar do ponto em que errou ao chegar a sua vez novamente. Ganha o jogo quem primeiro alcançar o céu.

Adedonha
Antes de começar a brincadeira, o grupo define quais serão as categorias do jogo. "Pessoa", "lugar", "objeto", "Filme", por exemplo. Decidido isso, cada jogador desenha uma tabela com colunas em uma folha de papel e escreve, em cada uma destas colunas, o nome de uma das categorias. Os jogadores colocam os dedos e contam cada letra do alfabeto. O primeiro a preencher todas as categorias diz "stop" em voz alta. Logo em seguida, a equipe revela a tabela e contam cada categoria.

Adoleta    
Em roda, um grupo de crianças intercala as mãos: um participante coloca a mão direita sobre a esquerda do colega do lado. Cada jogador bate na mão do outro, que "passa a palma" para o outro amigo, enquanto cantam a música abaixo (cada sílaba vale uma palma), até atingir a letra "u". Aquele que conseguir bater na mão do colega ao falar "u" desclassifica o outro. Caso contrário, ele mesmo deve sair do jogo. Vence quem ficar por último na brincadeira."Adoletá Lepeti, peti, cola, puxa o rabo do tatu, quem saiu foi tu, com a letra 'u'."

Passa Anel

Essa brincadeira promove a imaginação, criatividade e atenção, e pode ser jogada em qualquer lugar. Uma criança será escolhida para passar o anel. Os outros participantes ficam sentados um ao lado do outro com as mãos unidas, entreabertas, formando uma concha fechada. A criança que estiver com o anel entre as mãos deverá passar suas mãos entre as mãos dos outros participantes. Em determinado momento a criança escolherá um dos jogadores e deixará cair o anel entre as mãos dele, sem que o resto perceba. Para despistar o grupo, o participante com o anel deverá passar novamente as mãos entre os participantes. Ganha quem consegue acertar com quem está o anel.

 

Bateu a saudade da infância?

 

Redação O POVO Online

TAGS