PUBLICIDADE
Notícias

Esticou a noite? Saiba como cuidar da ressaca

Para quem exagera na bebida, a noitada pode resultar em dor de cabeça, azia e falta de apetite - alguns sintomas da ressaca. Confira as dicas para reduzir o "estrago"

12:29 | 27/02/2016
Atualizada às 12h30min
 
Quem nunca exagerou na bebida e sofreu as consequências no dia seguinte? A ressaca é tão popular que ganhou até um dia, a ser comemorado neste domingo, 28. No Brasil, o Dia da Ressaca não é muito famoso, mas algumas pessoas "comemoram" a data, reunindo os amigos e compartilhando histórias de bebedeiras e ressacas, enquanto tomam uns drinks.

Esta data também pode servir para lembrar as pessoas que costumam ficar constantemente de ressaca sobre os cuidados básicos para amenizar os sintomas ou mesmo prevenir este desconforto. A ressaca nada mais é que um alerta do organismo humano quando o corpo é intoxicado pelo álcool. 
 
As noites de Fortaleza, aos fins de semana, são regadas a muita diversão e, para muitos, um pouco de bebida alcoólica. A vida noturna começa com festas para quem gosta de forró ou pagode, mas também têm as baladas alternativas que a cidade oferece. E o fim de noite pode ser tão animado quanto.
 
Alguns bares da Capital ficam ainda mais animados na madrugada. "Vem gente de tudo que é canto, vem até banda de forró", diz o animado Denir Alves, proprietário do Paladar Restaurante. "É gente que chega embriagada na madrugada e sai boa de manhã", ri.
 
"Quem frequenta o bar é mais conhecido do que desconhecido", diz Rosania Ferreira, a dona Rosa, do Bar Besouro Verde. "Tem muita gente que fica até de manhã. A gente começa a encerrar e vai levanto a conta para as mesas, bota pra correr, porque, se deixar, eles ficam até às 9 horas". O bar abre no fim da tarde, mas o movimento, que melhora a partir de meia-noite, é grande até às 7 horas. 
 
Para quem exagera na bebida, a noitada pode resultar em um "dia seguinte" com dor de cabeça, enjoo, azia e até falta de apetite - sintomas da ressaca
 
O dia seguinte
 
A indisposição ocorre porque o fígado aumenta a produção de enzimas para processar a alta quantidade de álcool. Com a concentração de enzimas ainda em alta, no dia seguinte, o organismo sente o mal-estar. Segundo especialistas, a ressaca aparece quando a quantia de 30 gramas é superada em um dia. 
 
A nutricionista clínica, Camilla Oliveira explica que é possível se prevenir para reduzir os problemas no dia seguinte. "Para reduzir os efeitos é importante intercalar a bebida alcoólica com algo leve como água de coco ou alimentos. Nunca tomar a bebida sem algum intervalo".

Mestranda em Nutrição e Saúde pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), Camilla explica que a ressaca reflete sinais de desidratação. Para o dia seguinte, o mais indicado é ingerir líquidos como água e água de coco com frequência. 
 
Os sucos de fruta também são apropriados para o momento. Além disso, algumas combinações são mais efetivas para ajudar a tirar o álcool da circulação.
 
A primeira sugestão da nutricionista é combinar maçã, couve-manteiga e gengibre. Pêra, com água de coco e suco de limão também são indicados. E por último, suco de abacaxi, hortelã e gengibre. "Além de hidratação, também oferecem uma carga muito boa de vitaminas e minerais que vão ajudar o corpo a se recuperar".
 
Alimentação
 
Quanto à alimentação, não é indicado mudar drasticamente a rotina alimentar, mas alguns itens podem ser inseridos nas refeições. O consumo de pão e arroz integrais e carnes magras são sempre indicados.
 
Segundo especialistas, evitar preparações gordurosas ou com molhos, principalmente a base de creme de leite, também é importante. Optar por preparações mais leves, com digestão fácil, como sopas, cremes e consumê.
TAGS