PUBLICIDADE
Notícias

Álcool é 'porta de entrada' das drogas e não a maconha, diz estudo

Pesquisa sugere que quanto mais cedo o sujeito tiver contato com o álcool, mais suscetível ele fica a fazer uso de substâncias ilícitas futuramente. Confira opinião de especialista consultada pelo O POVO Online

17:26 | 18/01/2016
NULL
NULL

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos sugere que o álcool e não a maconha, como se costuma apontar, seria a principal 'porta de entrada' para o consumo de outras drogas.

O estudo, publicado neste mês no Journal of School Health e encabeçado por pesquisadores da Texas A&M University e da University of Florida, avaliou os padrões de uso de drogas do País, baseado em entrevistas com 2.835 estudantes.

Foram levadas em conta na análise a idade com a qual os jovens começaram a consumir álcool, bem como a predisposição de cada um ao uso abusivo de outras substâncias posteriormente.
[SAIBAMAIS 3]

De acordo com a pesquisa, o uso de tabaco ou maconha entre jovens costuma ser precedido pelo consumo de álcool.

"Os entrevistados que iniciaram o uso de álcool na sexta série relataram tempo de vida significativamente maior no uso de substâncias ilícitas e também o uso de substâncias ilícitas mais frequentes do que aquelas que iniciam o uso de álcool na nona série ou mais tarde", diz trecho da pesquisa.

Logo, é provável que, quanto mais cedo o sujeito tiver contato com o álcool, mais suscetível ele fica a fazer uso de substâncias ilícitas no futuro.

Substâncias de risco


Em entrevista concedida ao O POVO Online nesta segunda-feira, 18, a professora doutora e coordenadora do Projeto de Extensão Drogas de Abuso da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cléa Florenço, afirma que, embora drogas mais "fortes", como heroína e cocaína, sejam apontadas como as mais usadas pelos adolescentes, grande parte dos estudos mostram que, de fato, o álcool é a droga mais usada.

"Sabe-se que o álcool é a droga mais relacionada com mais da metade das mortes de jovens em acidentes automobilísticos", complementa a professora.

Ela, no entanto, ressalta que não apenas o álcool, mas também o fumo, a maconha e demais drogas ilícitas devem ser incluídas na lista de risco e consideradas potencialmente "substâncias de abuso".

A especialista reitera ainda que o uso da maconha, do álcool, e até mesmo do fumo precedem a experimentação com drogas, pois as motivações de consumo entre elas se assemelham.

"Os adolescentes referem que consomem álcool porque 'todo mundo bebe', 'me deixa alegre', 'me deixa relaxado', 'me deixa mais desinibido', 'ameniza meu sofrimento quando estou na pior'. Os adolescentes que consomem drogas citam motivos semelhantes".

 

Lígia Costa, especial para O POVO Online
TAGS