Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

O MDB de sempre

12:00 | Nov. 18, 2018
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
O MDB já debate entre portas, embora muito discretamente, como usar sua força no Congresso Nacional para instigar o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), a abrir um espaço para o partido no seu Governo – cargos e ministério, obviamente. O que Bolsonaro não cogita de forma alguma, atualmente. Na ultima reunião do MDB nacional, o deputado Darcísio Perondi (RS) foi o único a defender adesão do partido ao novo Governo. Moreira Franco, um dos caciques do partido, disse que o MDB quer ficar independente, mas Perondi alertou que era o pior caminho.
 
É a onda
 
Para Perondi, segundo contam testemunhas da reunião, dificilmente o MDB resistiria à onda direitista que toma conta do País.
 
O que vem aí?
 
O debate deu-se durante a apresentação do ministro Moreira Franco, do projeto ‘Caminho para o Futuro’, com sugestões do partido para o desenvolvimento.
 
Memória 1
 
O MDB fez parte de todos os Governos desde a redemocratização do País, mesmo sendo oposição durante a eleição. São craques nisso. A conferir.
 
Memória 2
 
Lula da Silva conseguiu governar até metade do seu primeiro mandato sem o então PMDB. Até quase sucumbir no escândalo do Mensalão – e então o partido aliado entrou  para salvar a governabilidade.
 
Resistência inicial
 
Como deputado federal, Jair Bolsonaro tentou derrubar a Medida Provisória 621/2013 que criou o programa ‘Mais Médicos’, logo que a MP, enviada pela ex-presidente Dilma Rousseff, chegou ao Congresso Nacional. No primeiro dia de tramitação da medida (9 de julho de 2013), o deputado apresentou cinco emendas.

Em vão
 
Bolsonaro afirmou que discordava do programa “em sua totalidade” e acusou o governo petista de “destinar médicos para atender às demandas da população de baixa renda sem se certificar da qualidade desses profissionais”. As emendas foram rejeitadas e a MP do ‘Mais Médicos’ foi aprovada. Bolsonaro então protocolou, sem sucesso, ação no Supremo Tribunal Federal na tentativa de suspender a MP. 
 
Da escola
 
O senador Eduardo Braga (MDB-AM) vai defender na Comissão de Assuntos Econômicos sua proposta que aperfeiçoa e amplia a aplicação do FUNDEB. Ela permitirá o pagamento de abono aos profissionais da educação, que não compõem as carreiras do magistério, como auxiliar de serviços, secretários, bibliotecários, serventes.
 
Exceção 
 
Hoje, só os professores têm direito ao abono. Nos anos em que o índice de 60% não são atingidos, os Estados pagam abono aos docentes, mas não as outras categorias.
 
No vermelho..
 
Com rombo de R$ 4 milhões da campanha do candidato derrotado à Presidência, Fernando Haddad, o PT pede socorro aos filiados e militantes para “contribuir para a resistência ao desmonte de direitos promovido pelo consórcio Temer-Bolsonaro”.
 
.. de fato
 
Em mais uma frente para tentar sair do vermelho, a Comissão Executiva Nacional do PT decidiu oferecer isenção da contribuição sobre o 13º para os filiados que regularizarem as parcelas mensais que estão em atraso até o dia 30 de novembro.  

ESPLANADEIRA
 
O Grupo Novartis abre inscrições para o programa de desenvolvimento científico, na Suíça, para estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Inscrições no site da companhia até o dia 30 de novembro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags