PUBLICIDADE
Notícias

O custo Cotão

16:52 | 24/04/2018
Nos últimos três anos, mais de R$ 700 milhões em recursos dos contribuintes foram desembolsados para a chamada Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, também conhecida como “cotão”. Conforme levantamento da entidade Operação Política Supervisionada, ao qual a Coluna teve acesso, o valor médio de um dia de verba indenizatória equivale a 253 salários-base de professores. A OPS foi fundada pelo Gestor de TI Lúcio “Big” Batista, e atua há cinco anos fiscalizando gastos com o cotão. 
 
Autopromoções 
 
Os maiores gastos estão concentrados na rubrica que permite ao deputado divulgar o mandato - como produzir podcasts, vídeos, material gráfico, outdoors e até livros. 
  
Narcisos 
 
Desde 215, foram quase R$ 170 milhões “investidos” com autopromoções. 
 
Não Decolou 
 
Caciques da velha guarda do DEM avaliam, internamente, que o partido deve redefinir – o quanto antes - a estratégia para as eleições presidenciais já que a pré-candidatura do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não decolou. Maia insistirá. 
 
O de sempre
 
Maia planejara alcançar entre 7% e 8% das intenções de voto até maio. Estacionou na faixa do 1% e com dificuldades de construir palanques e alianças estaduais. Diante desse cenário, ala da cúpula do DEM  aponta que o melhor caminho é embarcar como vice de Geraldo Alckmin (PSDB-SP). As conversas estão avançadas com o tucano. 
 
Desemprego 
 
Ao criticar a queda da MP 808/2017, que regulamentaria pontos da reforma Trabalhista, o presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho, Guilherme Feliciano, diz que trabalhadores agora temem procurar a Justiça por variados motivos – “entre eles o temor de sair com dívidas e, por outro lado, o medo do desemprego”. 
 
Caducou 
 
A MP perdeu a validade ontem após 120 dias de vigência. Para o presidente da Anamatra, com a queda da matéria, “agrava-se ainda mais o cenário de insegurança jurídica inaugurado pela Reforma”. 
Barraco à beira mar
O TRF da 4ª Região deve julgar em maio um recurso empresarial contra decisão da Justiça Federal de Paranaguá (PR) favorável a herdeiros da Colônia de Pescadores Maciel. A colônia está em litígio contra a Porto Pontal e a Balneária Pontal, herdeiras por doação tida como irregular em 1949, pelo então prefeito sócio de uma delas. 
 
Chinês no cais
 
A Antaq concedeu autorização para a construção de um Porto privado na área em disputa e que atraiu a atenção de chineses, que já compraram terminais em Paranaguá e São Francisco do Sul e esperam este novo porto para adquirir a concessão da União. 
 
Naufrágio anunciado
 
Além dos chineses que desejam a área para seu novo porto, há litígio sobre as áreas vendidas para duas empresas estrangeiras - Techint e SubSea, com contratos para plataformas e equipamentos da Petrobras. A Techint, ítalo-argentina, foi arrastada no  Petrolão e sofreu com a falência da OGX de Eike Batista.
 
Largada 
 
A 73ª edição do Encontro da  Frente Nacional de Prefeitos, que acontecerá este ano em Niterói, entre 6 e 8 de maio, terá a participação dos presidenciáveis. Rodrigo Maia (DEM) e outros já confirmaram pessoalmente com o prefeito Rodrigo Neves.
 
Canteiro aberto
 
A MRV lançou o Portas Abertas, de visitas monitoradas aos canteiros da construtora, e oferece aos estudantes de ensino técnico e universitário a oportunidade de vivenciar na prática o conhecimento aprendido em sala. Ano passado 450 alunos participaram.  
  
Ponto Final 
 
Desde as brigas de Joaquim Barbosa com Gilmar Mendes – e agora deste com Luís Barroso – as sessões do STF valem uma série de TV. Data venia às excelências, parafraseando Barroso, “É ódio, uma mistura de mal com o atraso e pitadas de psicopatia” (de todos)...
TAGS