PUBLICIDADE
Notícias

Barroso na fila

17:42 | 05/02/2018

Após a mal sucedida negociação com Jair Bolsonaro – na qual mudou o nome do PEN e quase entregou todo o partido ao deputado – o presidente do Patriota, Adilson Barroso, decidiu se lançar ao Planalto. Disse a militantes: “Se Bolsonaro não vier para o Patriota, serei eu o candidato a Presidente”. A seu favor, Barroso – ex-vereador no interior paulista e um mandato de deputado estadual – cita até o fato de ter mais seguidores que Bolsonaro no Facebook (“em MG eu tenho 700 mil seguidores”). Elenca ainda o controle do Patriota em 3 mil cidades e “600 políticos eleitos no partido”.

Tempo perdido

Numa pré-campanha que virou mico, o Patriota chegou a usar boa parte de seu programa na TV em 2017 para destacar a imagem de Bolsonaro. Perdeu tempo.

Filha de peixe

O Senado sabatina amanhã a advogada Paula Farani de Azevedo, filha do presidente da OMC, Roberto Azevedo, indicada para conselheira do disputado e seleto CADE.

Os ‘Indecisos’

Os ministros Eliseu Padilha, Moreira Franco e Carlos Marun vão priorizar o atendimento a 60 deputados indecisos sobre a Reforma da Previdência.

Povão sofre

Por que a grita contra a reforma da Previdência do Governo de Michel Temer é tão grande? Por forte lobby dessas classes, o Palácio as imunizou na proposta: policiais militares e federais, juízes, procuradores, militares das três Forças. Justamente as castas que deveriam ser atingidas para combater as regalias. Sobrou para o povão.

Contramão

Em um momento de ofensiva da sociedade contra o auxílio moradia superior a R$ 4 mil pago a juízes que possuem imóvel na cidade onde trabalham, o Senado pode aprovar medida que deve aumentar em R$ 31 milhões por ano a folha de pagamento do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.

Judiciário mama

O tribunal diz que o aumento de eleitores e da demanda de trabalho justificam a proposta, pois há uma defasagem no quadro de pessoal. O relator da proposta é o Senador Otto Alencar, do PSD da Bahia, favorável a aprovação.

Outro lado

O auxílio-moradia dos senadores é maior que o dos juízes. São R$ 5.500 mensais.

Escolta

Já foram mais tranquilos os dias (e noites) do ex-senador Luiz Estêvão dentro do Presídio da Papuda em Brasília, onde cumpre pena.

Sozinhos, não dá

Em reunião ontem em Brasília, a cúpula do PCdoB decidiu que, mesmo que seja opção da esquerda sem Lula na disputa, é preciso compor frente ampla. Volta-se ao desafio: manter candidatura própria, de Manuela D’Ávila, ou ser coadjuvante do PT de novo.

Lei das Estatais

O ministro do Tribunal de Contas da União José Múcio Monteiro recebe nos próximos dias primeiro relatório sobre a adequação das empresas brasileiras à Lei das Estatais. Um dos focos da Lei, em vigor desde 2016, é diminuir a influência política e aprimorar mecanismos de governança e processos de compras e aquisições das empresas.

Reformas

Em paralelo à tentativa de derrubar a reforma da Previdência, o PT vai mobilizar as bancadas da Câmara e do Senado para evitar a rejeição das centenas de emendas à Medida Provisória 808/17) que alteram pontos de outra reforma, a Trabalhista. 

Mobilização

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP) admite que faltou mobilização para evitar as mudanças nas regras trabalhistas ao afirmar que  “o povo não entendeu e só percebeu as perdas depois de aprovada”.

Ponto Final

“O campo de esquerda está bem vivo e pode vencer”

Do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA), sobre a disputa presidencial deste ano.

TAGS