PUBLICIDADE
Notícias

Tributos e sonegação em alta

20:58 | 22/07/2017

Enquanto o governo repassa a conta da crise política e econômica para os consumidores, além de cortar mais de R$ 5 bilhões em gastos, a sonegação no País já atingiu a mastodôntica marca de R$ 315 bilhões nos últimos sete meses. São R$ 18 mil reais sonegados por segundo e mais de R$ 1 milhão por minuto. Com esse montante que não entra nos cofres da União, seria possível, por exemplo, construir milhares de postos de saúde equipados.

Sem crédito

Os bancos públicos e privados permanecem no topo da lista de instituições devedoras da União. São R$ 124 bilhões que, se pagos, aliviariam o rombo nas contas públicas.

Sucateada

Os sonegadores estão sob a mira da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional que, assim como outros órgãos, está sucateada, com sistemas informatizados inoperantes.

Balanço

Nos últimos quatro anos, o trabalho dos procuradores da Fazenda Nacional resultou na recuperação de R$ 76 bilhões e evitou a perda de R$ 500 bilhões aos cofres públicos.

Triplo

O senador João Capiberibe (PSB-AP) engrossa o coro contra o aumento de impostos: “Estudos do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional indicam que em 2015 foi sonegado o triplo do déficit anual nas contas do governo”.

Tropa na pista

O programa de patrulhamento em vias expressas do Rio para inibir o roubo de cargas entrou na pista no fim de 2016, com articulações em Brasília pelo deputado Hugo Leal (PSB-RJ). Desde novembro, ele fez reuniões com os então ministros Alexandre de Moraes e Osmar Serraglio, e com o atual da Justiça, Torquato Jardim. Todos abraçaram a ideia e iniciaram gestões internas e estavam na iminência de aplicá-lo.

A conta

Em requerimentos encaminhados ao Ministério da Defesa e Justiça, o deputado apresentou a conta: A Força Nacional, com 60 homens e 8 equipes, custou R$ 877 mil de dezembro a fevereiro. O mesmo investimento, apontou Leal, cobre 37 equipes com 111 homens. E não precisa pagar diárias para os soldados.

Prévias

Desde o início do ano, com o apoio do Núcleo de Transportes de Cargas da CNT, e outros órgãos, o deputado realizou várias audiências públicas no Rio sobre o assunto.

Pressão das bases O Planalto mantém como certos os 252 votos para derrubar a denúncia contra Te

mer. O temor é de que haja baixas devido à pressão que os deputados estão sofrendo em suas bases.

Nó internacional

Alardeado pelo presidente Michel Temer durante a reunião de cúpula do Mercosul, na Argentina, o acordo entre o bloco presido pelo Brasil com a União Europeia, que se arrasta há anos, está longe de ser consolidado. Já foram três rodadas de negociações desde maio de 2016, com avanços tímidos.

Eurodeputados

Deputados do Parlamento Europeu enviaram recentemente à alta representante da União Europeia (UE), Federica Mogherini, o pedido de suspensão das negociações de acordo comercial com o Mercosul devido à crise política no Brasil.

Relacionamento

Em resposta à Coluna, o grupo JBS diz que não procede relato sobre telefonemas de executivos para presidentes de grandes bancos: “A JBS esclarece que mantém relacionamento de longo prazo com as instituições financeiras”.

Alienação

A JBS informa ainda que não houve transferência de controle da JBS Canadá: “Foi anunciada apenas a alienação de sua operação de confinamento e uma fazenda adjacente, localizados em Brooks (Alberta), à MCF Holdings Ltda.”

Ponto Final

“Mais um absurdo do bandido Temer. Aumento de impostos nos combustíveis. R$ 0,41 centavos por litro”.

Do deputado João Derly (REDE-RS)

TAGS