PUBLICIDADE
Notícias

Cerco a aliados

12:00 | 30/05/2017

O presidente Michel Temer mantém a agenda repleta de encontros com parlamentares da base e ministros para medir a temperatura de apoio ao Governo e evitar a fuga de aliados. Dos ministros da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), e do Trabalho, Ronaldo Nogueira (PTB), recebeu a informação de que os partidos mantêm-se “fechados” com o Palácio. Foi o mesmo tom da conversa de Temer com o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) que se mantém como líder “pardo” da bancada na Câmara.

Nanicos

Nesta semana, Temer dará prioridade às conversas com os líderes dos chamados “partidos nanicos” – relegados desde o início do Governo do peemedebista.

Amém

A Igreja quebrou o silêncio sobre o cenário: “Se houver eleição indireta, é preciso consenso de nome que não esteja ligado a falcatruas”, diz Dom Leonardo, da CNBB.

Pega geral

Os ex-governadores do DF foram só os primeiros presos por causa do superfaturamento, na arena de Brasília. Os portões foram abertos pelas construtoras nas delações.

Perdeu, doutora

O Governo Dilma recusou equipamento alemão de comunicação criptografada oferecido ao Palácio há dois anos. Ela preferiu investir nos sistemas C-Gov e Cripto-Gov, elaborados pela Abin, mas que só foram usados para e-mail e telefone após os vazamentos de Snowden sobre as conversas da presidente monitoradas pelos EUA.

Arma de guerra

O sistema alemão é tão poderoso que é proibido nos Estados Unidos, e se alguém tentar entrar com ele no aeroporto, deve ser declarado como arma de guerra, e o cidadão passa a ser monitorado pelo FBI e CIA.

Fone blindado

Aliás, os sistemas criados pela Abin estão em funcionamento no Palácio. Abrangem o chamado telefone vermelho do presidente, em linha segura com ministros da Esplanada.

Alerta dado

Presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Contas, Julio Marcelo – que apontou ilegalidade nas contas de Dilma – questiona: “Onde estavam os tribunais de contas? O que faziam enquanto elefantes brancos eram erguidos para a Copa?”.

Meritocracia

O Congresso Nacional pode dar um basta às indicações políticas para o TCU, dos tribunais de Contas dos Estados e dos municípios. Tramita na CCJ uma PEC que prevê realização de concurso público para as carreiras dos órgãos de Contas.

Sem ligações

A matéria é relatada pelo deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), que frisa: “Esse sistema tem permitido que o cargo de conselheiro dos tribunais de contas sirva para indicações que levam à troca de favores para ex-políticos e parentes de políticos”.

Cegueira

Presidente da comissão especial que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma, o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) procura suavizar a grave crise política deflagrada pelo escândalo JBS. “É teste para nossa democracia que está em aperfeiçoamento”.

Grita do QG

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, reprovou, em reservado, o recuo do presidente Michel Temer ao revogar o Decreto de Lei e Ordem para reprimir protestos na Esplanada. Nos bastidores da caserna, a informação é de que Villas Bôas já teria informado ao ministro Raul Jungmann (Defesa) a intenção de deixar o posto.

Segredo do Palácio

O cotado para o posto é o general Sérgio Etchegoyen, hoje chefe do Gabinete de Segurança Institucional do Palácio.

Coach empresarial

Staff de professores brasileiros que moram há anos nos EUA, capitaneados por Jorge Bittencourt (Ibmec Rio), vai ministrar curso de 10 a 20 de julho na Flórida para os conterrâneos que querem investir na terra do tio Sam. https://www.gpsbrasil-usa.com/.

Mais segurança

A insegurança normativa e a instabilidade política afastam investidores do Brasil, apesar de o País em ‘liquidação’ com o real desvalorizado frente a moedas. Só um exemplo, nosso Código comercial é de 200 anos atrás, com pequena atualização na década de 70.

TAGS