PUBLICIDADE
Notícias

Por trás da greve

13:56 | 29/04/2017

As reformas trabalhista e da Previdência são mero pretexto. O real motivo da baderna feita ontem por sindicalistas – a grande maioria ligada a partidos políticos – é a proposta do fim do imposto sindical anual e bilionário que enche os bolsos dos sindicatos, nem sempre fiscalizados e com diretores que se perpetuam no comando. No plenário, os deputados aprovaram substitutivo do deputado-relator da reforma, Rogério Marinho (PSDB-RN), que transforma o imposto em contribuição opcional. Tudo indica que o Senado seguirá a linha e o presidente Michel Temer sanciona sem vetos.

Baderna

Greve é direito do povo, mas o que se viu ontem nas cidades foi baderna. Bloquear vias e impedir que pessoas trabalhassem ou pegassem condução foi crime.

Incompetência

As Polícias Militares de muitas capitais acordaram junto com o povo e foram às ruas tentar desbloquear vias. Ou falta inteligência, ou é má vontade. Ou as duas coisas.

Alerta na caserna

O Exército e a Marinha frustraram passeios e não liberaram os soldados da caserna para o feriadão. Toda a tropa está em estado de alerta até segunda-feira.

Fé na greve

O bispo da Diocese de Patos de Minas (MG), dom Claudio Sturm, solicitou o fechamento de suas 43 paróquias e da Cúria diocesana ontem, em protesto contra as reformas do Governo. “Manifestamos nossa solidariedade, participando das manifestações, a fim de lutarmos juntos por uma causa justa e ética”, informa nota.

Requião

Relator do projeto de abuso de autoridade, o senador Requião (PMDB-PR) manteve surpreendente serenidade, cobrado aos gritos por manifestantes ao caminhar até o gabinete, dia desses. Após entrar, voltou a ser Requião: “Quanta baboseira!”, gritou.

Pressão..

No vale tudo por votos para aprovação da reforma da Previdência, o Palácio mira prefeitos que podem influenciar deputados indecisos ou contrários à proposta. Mesmo com os caixas no vermelho, ministros buscam brechas no orçamento para agradar os alcaides. Em especial com dinheiro dos programas sociais.

..colateral

Isso explica o esforço do presidente Michel Temer em prestigiar a Marcha dos Prefeitos, em Maio, e ele ter obrigado os ministros a comparecerem ao evento.

Meia volta, volver

O general Sérgio Etchegoyen, do GSI do Palácio, vai assumir o Comando do Exército em breve. O cotado para assumir o GSI é seu braço-direito, General Brandão.

Azedou

Clima esquentou no Comando do Exército. Os oficiais decidiram pela promoção a 4 Estrelas de General linha-dura, em detrimento de um diretor do HFA, ‘na frente’ na fila.

Pote de ouro

A AGLO, agência olímpica que surgiu para substituir a falecida APO – que não entregou a matriz de responsabilidades – tem R$ 46 milhões em caixa.

Onipresente

O secretário de Previdência, Marcelo Caetano, parece ter o dom da onipresença. Nos últimos dias, esteve constantemente reunido com líderes e deputados aliados na Câmara enquanto, na agenda oficial, estavam previstas reuniões em seu gabinete.

Afago ao CARF

Relator da MP 765, que reorganiza cargos e carreiras da União e dos Estados, o senador Fernando Bezerra (PSB-PE) rejeitou as emendas que previam extinção do “bônus de eficiência” para auditores fiscais da Receita, inclusive para os membros do CARF.

Olha o talão!

Criado em 2016, o dinheiro do bônus será pago aos servidores por meio de um fundo composto pela arrecadação com multas aplicadas a contribuintes, e valores arrecadados com leilões de bens apreendidos.

Ponto Final

“O projeto de abuso de autoridade é polêmico e temos que nos certificar que não haverá cerceamento do trabalho da polícia, Ministério Público e Judiciário”, do líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO).

TAGS