PUBLICIDADE
Notícias

Carvalho em Missão Impossível

12:00 | 13/08/2016
Lotado na Liderança da Minoria do Senado, Gilberto Carvalho, o ex-ministro dos governos Lula e Dilma, foi incumbido pelo Barba de partir para o corpo-a-corpo com senadores que podem mudar o voto no julgamento final da petista, dia 29. É enxugar gelo, pelo resultado da votação da abertura do processo. Há duas semanas no cargo, Carvalho tem encontrado dificuldades até para localizar os gabinetes de senadores.

Calculadora
Já os ministros palacianos de Michel Temer apostam que o presidente terá de 60 a 63 votos pela sua manutenção.

R.S.V.P.
Sem alarde, o Cerimonial da Presidência da República prepara um megaevento de posse do presidente Temer. A data é incerta, mas a lista de convidados já está pronta.

Boletim
Temer e os ministros Padilha e Geddel já fazem uma chamada. É a avaliação dos ministros no cargo. Isso indica que tem gente que pode dançar quando ele se oficializar.

Bumlai vai falar
Em depressão e em tratamento de um câncer na bexiga, o pecuarista José Carlos Bumlai já prepara com advogados a assinatura do acordo de delação premiada. Apesar de amigo de Lula, avisou não ter mais condições “mentais e físicas” de enfrentar uma cela.

Narciso
Temer tem reclamado bastante ao articulador político Geddel Vieira Lima da falta de discursos de aliados em defesa do Governo nos plenários do Senado e da Câmara. Mas quem está cobrando dos parlamentares é o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Fechado pra balanço
Que Temer não espere discursos. Com exceção da votação do impeachment de Dilma no fim de agosto, os plenários da Câmara e Senado estarão vazios, de políticos e servidores, porque a maioria estará na base ajudando candidatos a vereador e prefeito.

Guilhotina
O ministro da Saúde, o engenheiro Ricardo Barros (PP-PR), está com a cabeça na guilhotina no Palácio. E não tem a ver com as asneiras que tem soltado.

‘Último’ grito
Movimentos sociais ligados ao PT – como o MST e MTST – já foram informados que a presidente afastada Dilma Rousseff irá pessoalmente ao Senado fazer sua defesa no julgamento final do impeachment. Apesar do cenário claro de derrota, líderes dos movimentos falam em levar 60 mil pessoas “contra o golpe” à Esplanada.

Metafórico
O senador José Medeiros (PSD-MT) ironiza o “esperneio” do PT sobre a degola de Dilma: “Parece aquela situação hilária em que você tem um bicho na sala que mia, bebe leite e come rato. Todo mundo diz que é gato, mas eles vêm e dizem: é cachorro.”

Janaína sumiu
Tida por uns e outros como “musa do impeachment”, a advogada Janaína Paschoal desapareceu dos holofotes nas últimas semanas. Era esperada sua presença no plenário do Senado na sessão que decidiu levar Dilma Rousseff a julgamento.

Supremo mistério
A advogada tem se dedicado à busca de um “tal documento” que pedia a cassação do registro do PT (em 2015) e, segundo ela, “sumiu misteriosamente dentro do STF”.

Contramão
O setor de fidelização continua em expansão. A Dotz, maior empresa de fidelidade do Brasil, prevê crescimento entre 15 e 20% em relação a 2015, e um aumento no número de clientes de pelo menos 14% em relação ao ano passado: hoje já são 19,4 milhões

Follow the money
A despeito da crise, que começa a dissolver, a Dotz chegará até fim de 2017 em Salvador, Porto Alegre e São Paulo.

Ponto Final
“Fala muito quem não tem o que falar”
Do advogado de acusação João Berchmans, sobre a peça final apresentada pela defesa da presidente afastada Dilma Rousseff que contém 670 páginas.
TAGS