PUBLICIDADE
Notícias

Alta tensão em Itaipu

12:00 | 17/06/2016
Três partidos disputam as diretorias da usina Itaipu Binacional. PMDB, PSDB e DEM querem as vagas e pressionam o presidente Michel Temer para as mudanças. Mas a maior tensão no circuito elétrico não é só a disputa partidária, e sim dois ‘estrangeiros’ que surgiram no processo. Paulo Skaf, presidente da FIESP, quer indicar Fernando Xavier Ferreira, o FX; e Rodrigo Rocha Loures, pai do ex-deputado homônimo assessor especial de Temer, já se diz o escolhido – porém não tem apoio de nenhum dos 26 deputados da bancada do Paraná que pleiteiam a indicação para a vaga.

Currículo na mão
O diretor-presidente Jorge Samek, ligado ao PT, está na guilhotina e já foi avisado que dança em breve. Seus diretores, ligados ao PT e PMDB do Sul, idem.

Curto-circuito
O PSDB paranaense prefere compor com o PMDB um nome de consenso. Já o DEM do Estado quer emplacar na cúpula o ex-deputado Alberto Lupion.

De braçadas
O grupo do senador Roberto Requião surgiu com a ideia de filiar Osmar Dias (PDT) no PMDB e lançá-lo à diretoria-geral da usina. A situação desandou de vez.

Na dele
Aconselhado por aliados, o governador Beto Richa (PSDB) não bota o dedo na tomada, para nenhum lado. Vai esperar a decisão do presidente Temer.

Tá explicado
O contra-cheque explica. Além das benesses do cargo, os salários são de R$ 60 mil para o presidente, R$ 50 mil para diretores e superintendentes, e R$ 30 mil para gerentes.

Bombeiro da vez
O líder do Governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), virou o bombeiro da Casa. Para apagar os incêndios diários do presidente interino Waldir Maranhão (PMDB-MA). Correu para a presidência ontem de manhã ao saber que havia motim descontrolado na frente de Waldir, que prometera dois cargos a três deputados..

Acordão na pressão
Estavam no os federais Lucas Virgílio (SD-GO), Marcos Vicente (PP-ES) e Luis Tibé (PTdoB-MG). Eles disputam a relatoria e presidência da PEC dos gastos públicos na iminente comissão especial. Moura apaziguou os ânimos e determinou acordo ao trio. Enquanto Maranhão saía de fininho.

Zé Ninguém
Aliás, Maranhão entrou mudo e saiu calado, sem festejos, na posse da nova diretoria da Associação Nacional dos Juízes Federais na quarta à noite no Clube Naval. Sentou-se na segunda fileira e sequer foi citado pelo cerimonial.

Sois rei
A festa na AJUFE foi para Flávio Dino (PCdoB), o governador maranhense juiz federal, estrela entre os colegas.

Leilão
Osmar Serraglio, presidente da CCJ da Câmara, está numa situação delicada. Ninguém na Comissão quer ser relator do caso de Eduardo Cunha. Até ontem havia indefinição.

Turismo de fato
A piada no Congresso é que não houve na História do País um ministro do Turismo como Henrique Alves. Saiu no Governo Dilma, deu uma volta, retornou, e foi embora de novo. Em suma, passeou pelo cargo.

Gestão técnica
Os fundos de pensão vão mesmo ganhar um modelo de gestão com comitê totalmente técnico. É isso que prevê, por ora, o texto que será elaborado a quatro mãos pelos deputados Efraim Filho (DEM-PB) e Marcus Pestana (PSDB-MG) para o projeto 268.

Tá tranquilo
A base do presidente Michel Temer fez as contas ontem num balanço atualizado, na ponta da caneta: soma 387 deputados aliadíssimos e 55 senadores. Na Casa Alta, há seis senadores ‘indecisos’ com forte viés pró-Temer.
TAGS