Participamos do

Eleição de 2018 explica apego a ministérios

12:00 | Abr. 01, 2016
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
A insistência dos ministros do PMDB em ficar no cargo não é apego ao Poder, mas para manter o projeto estratégico de ter vitrine e verbas para consolidarem suas candidaturas em 2018. Eduardo Braga (Minas e Energia), Helder Barbalho (Portos), Kátia Abreu (Agricultura) e Marcelo Castro (Saúde) querem disputar os palácios do Amazonas, Pará, Tocantins e Piauí, respectivamente. E não se trata apenas deles. Há séquitos envolvidos.

Pé na bunda
A presidente Dilma demitiu o segundo apadrinhado direto de Michel Temer no Governo. O diretor da Conab Rogério Abdalla.

Saudade de Miami
Em novembro de 2013, quando a Conab foi alvo da PF e CGU, Rogério Abdalla, e o Diretor de Abastecimento, Marcelo Melo, foram vistos a passeio em Miami.

May Day
O recém-nomeado ministro da Aviação, Mauro Lopes (PMDB), disparou telefonemas para deputados e senadores aliados, pedindo apoio (e votos) para ficar no cargo.

Ordem do Barba
O ex-presidente Lula já opera como informal assessor especial da presidente Dilma em Brasília. Ele se encontrou com expoentes do PMDB, e numa conversa com a inquilina do Palácio a orientou a manter pelo menos o Ministério da Saúde com a bancada do PMDB na Câmara, a despeito da debandada do partido.

Tô aqui, hein!?
O líder Leonardo Picciani bateu pé até o Planalto quando soube que a Saúde estava em perigo. Ficou horas com o ministro Ricardo Berzoini (Governo) garantindo que Dilma terá 20 votos da bancada no plenário. E adivinha quem apareceu, por acaso, no fim da reunião? O ministro Marcelo Castro, apadrinhado de Picciani. Disse que foi dar um ‘oi’

Dá mais, vai..
Consultado por emissários, Gilberto Kassab, presidente do PSD e ministro das Cidades, avisou aos palacianos que tem 10 votos no plenário para Dilma. Mas que esse contingente cresce se ela sinalizar outro ministério para o partido, com 33 deputados.

Pra todo gosto
Entre os patrocinadores do evento do ministro Gilmar Mendes, na Faculdade de Direito em Lisboa, estão a OAB nacional, pró-impeachment, e a Itaipu, do Governo.

Vai ter vaia!
A partir de hoje, os deputados ficam nos salões de embarque junto com os outros mortais. A Câmara cortou o aluguel de R$ 250 mil/ano da sala vip no Aeroporto JK.

Indigestão no PDT
O almoço do federal Dudu da Fonte com o ex-ministro Paulo Bernardo na quarta acendeu alerta no PDT, que controla as Comunicações. Dudu é quem capitaneia no PP pedido de mais pastas. E P.B. tem ascendência no ministério e e nos Correios.

Esse é profi
Foi emblemático o anúncio de rompimento do PMDB com o Governo feito pelo senador Romero Jucá (RR). Ele se mostra carreirista profissional. Foi líder dos Governos FHC, Lula, Dilma e prepara o gabinete para eventual gestão Michel Temer.

Caravana
Governadores e prefeitos estão auxiliando o Planalto no mapeamento de cidades e capitais por onde passará a caravana anti-impeachment liderada pela presidente Dilma. A ordem é riscar do trajeto locais onde a petista possa enfrentar protestos.

Aécio & Temer
Se alguém tinha dúvidas, Aécio Neves deu provas no Twitter de que fechou com Michel Temer: “PSDB não será beneficiário do impeachment. Mas acontecendo esse processo, nós iremos ajudar a construir os caminhos para a governabilidade”.

Paraguaio$
O Brasil ajudou a construir o porto de Mariel, com financiamento do BNDES, em Cuba, que está em leilão para EUA e Rússia. Espertos, os hermanos da Paraguay Development se uniram ao Grupo Cubanacán para erguer um apart-hotel com 70 apartamentos.

Ponto Final
Em tempos de crise e nos jornais e jornalistas apanham tanto (e literalmente, nas ruas), enfim uma boa notícia. Confirmada a 3ª Edição do Prêmio Paulo Octavio de Jornalismo em Brasília.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente