PUBLICIDADE
Notícias

PMDB no muro

12:27 | 12/03/2016
Na convenção nacional de hoje, o PMDB vai reforçar o perfil que o notabilizou nas últimas décadas – em cima do muro, com um pé em cada lado do Poder, na base e na oposição. Os peemedebistas são experts, e por isso estão sempre no Governo. Vai ter falatório contra o Governo Dilma, tudo combinado. Mas um cacique garante que o partido “não vai deliberar, ficará neutro”. Em suma, não vai cravar apoio incondicional a Dilma, mas também não pregará a saída do Governo. Por fim, vai eleger a executiva nacional e suas regionais. O PMDB manterá os cinco ministérios na Esplanada.

Porta de entrada
O documento ‘em cima do muro’ que será divulgado é sinal para os dois lados, PT ou anti-PT – a disputa que se vislumbra em 2018. O PMDB assim se garante em um deles

O nome
Não há consenso no PMDB para lançar candidato ao Planalto, mas cresce o grupo que prega a candidatura. Se for, será a de José Serra, que está prestes a se filiar ao partido.

Na praia
Propalado como o pré-candidato à Presidência, o prefeito Eduardo Paes, carioca ‘exxxperto’, vai disputar o Governo do Rio, como revelou a Coluna esta semana.

Xerifado quer coldre
Nos bastidores da turma da investigação, delegados veem como açodada a decisão dos promotores paulistas no pedido de prisão do ex-presidente Lula. Mas há uma motivação institucional maior. O MP há anos luta no Congresso Nacional para ter poder de polícia, de comandar o inquérito, em lugar de ou em concomitância às Polícias.

Fator Controle
O pedido de prisão de Lula tem, é verdade, respaldo documental na investigação minuciosa que o MP-SP promoveu sobre as fraudes da Bancoop no Edifício Solaris, onde Lula é suspeito de ter o tríplex não declarado. Mas a decisão seria para chamar atenção para o direito do MP à investigação e ao controle externo.

Nem tanto
Em meio à polêmica PEC 37, que não avançou no Congresso – tirava do MP poder de investigação criminal – os procuradores soltaram nota: “O MP não quer substituir as instituições policiais no trabalho de polícia judiciária, nem pretende competir”.

Tô limpa
Em evento em Curitiba, o juiz Moro citou políticos do PP julgados por corrupção. Na primeira fila, vermelha, a vice-governadora Cida Borgheti, filiada ao partido.

Álibi
Por falar em Moro, expoentes do setor de jogos comemoram a revelação da mãe do magistrado de que comanda bingo beneficente da Igreja no interior do Paraná.

Tempo, tempo..
Em 29 de novembro de 2005, na véspera da votação em plenário pela cassação do deputado José Dirceu, quem estava lá a defendê-lo? Entre outros juristas, Hélio Bicudo, o fundador do PT que agora defende o impeachment da presidente Dilma.

Oração & pau na rua
A CNBB dos bispos da Igreja soltou documento preocupada com o que pode ocorrer amanhã nas ruas. “O momento atual não é de acirrar ânimos. A situação exige o exercício do diálogo à exaustão. As manifestações (..) devem ser pacíficas”

Às mulheres
A deputada Tia Eron (PRB-BA) comemora requerimentos de urgência de projetos seus aprovados em plenário na semana da Mulher: entre eles, o que tipifica crime de descumprimento de Medidas Protetivas da Lei Maria da Penha; o atendimento policial especializado e ininterrupto para a vítima de violência doméstica.

Jornalismo
Prova de que não se pode confundir um patrão enrolado com a Justiça com o jornalismo de fato. O ‘Metrópoles’, portal de notícias do DF criado e bancado de seu bolso por Luiz Estêvão, noticiou em primeira mão a prisão do ex-senador. E com imparcialidade.

Voz da defesa
Ex-advogado de Brizola, o criminalista Artur Lavigne, que atuou nos casos da bomba do Riocentro e o atentado na OAB nos anos 80, considerou como ‘ilegal’ a condução coercitiva de Lula pela PF. “E há medidas que podem ser adotadas contra isso”

Ponto Final
“Lula não se considera nem está acima das leis. Mas tampouco pode ser objeto de injustificados ataques a sua integridade pessoal”.

Da nota proposta pelo Instituto Lula e assinada por 14 ex-presidentes da República da América Latina e Europa.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS