PUBLICIDADE
Notícias

PMDB dividido

12:00 | 25/03/2016
Cinco ministros do PMDB na Esplanada se reuniram com o presidente do Senado, Renan Calheiros, na tarde de quarta, na tentativa de criar força-tarefa para convencer o presidente da legenda, Michel Temer, a adiar a decisão de desembarcar do Governo. A ala governista do partido tem uma conta que não bate com a que o vice-presidente da República espalha, para endossar a debandada. Temer se diz pressionado pela maioria dos diretórios. Mas até ontem à noite, 15 das 27 executivas estaduais – portanto, a maioria – não tinha fechado a saída com o vice, segundo um cacique.

Só, somente só
O PP avalia desembarcar da base. “Situação está insustentável”, diz o presidente Ciro Nogueira. O PT está ficando sozinho, ao lado de PCdoB.

Condições
Para ser candidato a presidente pelo PV em 2018, o senador Alvaro Dias condicionou sua filiação à exclusão do apoio ao aborto e legalização das drogas do programa.

Foro íntimo
Indagado sobre o que conversou com o presidente Eduardo Cunha, o deputado “tarja preta” Vinícius Gurgel (PR-AP) declinou: “Não vou falar. Questão de foro íntimo.”

Duda pró Moro
O publicitário Duda Mendonça, que tocou as duas vitoriosas campanhas de Lula ao Planalto, apóia o juiz Sérgio Moro as investigações da Lava Jato. (Duda perdeu as campanhas de Dilma Rousseff para o agora detento João Santana). Duda nega que esteja dando consultoria a Dilma e Lula, segundo circula nas rodinhas do Poder.

Fala, Baiano!
Questionado pela Coluna, o baiano diz ser “uma loucura esse tipo de ilação”. “Não faz o menor sentido. Tem muito tempo que não vejo o Lula e a Dilma. Sou a favor da Justiça, da Polícia Federal, pois eu quero o bem do Brasil”

Trocou a Besta
Voltou a circular nos corredores da Câmara dos Deputados o pai de santo conhecido como Uzêda. O mesmo que, como noticiou a Coluna em janeiro, chamara o presidente da casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de “a Besta”: “A besta agora é a Dilma.”

Dançou, Delcídio
Parlamentares do Conselho de Ética têm recebido visitas de emissários de Delcídio do Amaral (afastado do PT). “De jeito nenhum”, sobre votar a favor do colega.

Será por quê?
A Frente Parlamentar de Combate à Corrupção anda desmobilizada. Apenas 5 – dos 226 deputados e 14 senadores que integram o grupo - compareceram à última reunião

Claque paga
Ao deixar a Presidência, o ex-presidente Lula circulava como um ídolo nas ruas de São Bernardo. Depois que “o tempo fechou”, Lula não passa da varanda do seu apartamento. A rejeição dentro condomínio Hill House é alta. Abraços, só a pelegos pagos na rua.

Corra, Tonca, Corra
O PSB deu gelo em Antônio Campos (Tonca), irmão do saudoso Eduardo, que até agora só conquistou o vereador Arlindo Siqueira (PSL) para a campanha à Prefeitura de Olinda. Com essa tropa de Tonca, a adversária Luciana Santos (PCdoB) está eleita.

Sangue na Lava Jato
Alvo da 26ª etapa da Operação Lava Jato, a agência de publicidade Arcos atende à Hemobrás, empresa de hemoderivados também enredada em outra operação da PF batizada de Pulso. O contrato de R$ 10 milhões foi assinado em março de 2015.

Repúdio 1
Auditores da Receita Federal mandaram duro recado ao ministro da Justiça, Eugênio Aragão. Classificam o novo chefe da pasta de “arbitrário” e repudiam qualquer tipo de “interferência”. Eugênio cutucou o vespeiro ao anunciar que vai afastar equipes de investigação “caso haja vazamentos de informações”.

Repúdio 2
Procuradores da Fazenda Nacional também se posicionam em estado de repúdio à tentativa de utilização da AGU como Advocacia de Governo, “em flagrante desvirtuação de sua função constitucional”.

Ponto Final

“Impeachment não é golpe”

Do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), a repórter da Coluna, logo após cumprimentar o ministro Nelson Barbosa.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS