PUBLICIDADE
Notícias

PCdoB incomoda militares em compras da Defesa

12:00 | 06/03/2016
Avalizada pelo ministro Aldo Rebelo, a recente nomeação da ex-deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) como Secretária de Produtos de Defesa passou a incomodar altos oficiais das três Forças Armadas no Ministério da Defesa. Perpétua passou a controlar contratos bilionários de aquisição de armamentos, munições, veículos e equipamentos, numa aérea antes comandada há anos por especialistas na pasta. Para monitorar de perto as ações da ex-deputada, os militares colocaram no gabinete um experiente general. A assessoria do ministério nega que haja ciúme dos militares, enquanto a caserna ferve.

Dona da caneta
Perpétua passou a dar a última palavra sobre compras, contratos, licitações. Está com a Base Industrial de Defesa nas mãos, com carteira de 220 fornecedores de grande porte.

Tudo em casa
O futuro secretário executivo da Aviação Civil na gestão de Mauro Lopes, José Alexandre, é filho do saudoso ex-senador por Minas Eliseu Resende.

Distância
Ex-homem forte do PT e de Lula, com quem tinha relação diária, Tarso Genro não fala com Lula há mais de três meses. Com Dilma, desde o início do ano passado.

Com quem andas..
Pegou mal na foto a coletiva de Lula acompanhado dos senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann, investigados pelo STF, e das deputadas Jandira Feghali e Luciana Santos, do PCdoB, que idealizaram projeto de lei de controle da imprensa. Sem olhar para trás, Lula falou de liberdade de expressão e sobre idoneidade do partido.

Índice Renegade
A alta do dólar encareceu os carros produzidos no Brasil, que apesar de montados aqui têm componentes estrangeiros. Para variar, o frete encareceu as peças. Maior exemplo é o Renegade, fabricado em Goiana (PE), o queridinho da atualidade. Estreou 2015 com R$ 69 mil a versão básica. Na tabela de hoje está a R$ 81 mil.

Adeus, redução
Afinadíssimo com a presidente Dilma, o presidente do Congresso, Renan Calheiros, engavetou para valer as propostas da redução da maioridade penal e da flexibilização da compra de armas, ambas aprovadas com festa na Câmara.

Olheiros
Pode ser só turismo. Agentes do Mossad, a inteligência de Israel, foram vistos em um famoso american bar de Brasília. Há também oficiais cubanos e venezuelanos na cidade.

Roda o globinho
Um figurão do setor crava que, atualmente, existem 2 mil bingos em atividades apenas na Grande São Paulo. Seguem no Congresso projetos pela legalização.

Rebelião silenciosa
Auditores da Receita Federal, indignados com a morosidade das negociações salariais por parte do Governo, têm feito operação padrão em todo o País. Eles desligam os computadores às terças e quintas, embora cumpram a carga horária no trabalho.

Munição
A presidente Dilma não quer dar munição para o adversário Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara. A leniência do Governo é um prato cheio para as críticas do peemedebista. “O governo fala em CPMF e não faz a parte dele”, alfineta Cunha, referindo-se à demora do governo em tirar as medidas de redução dos gastos do papel.

Sinais
Joaquim Levy, ex-ministro da Fazenda, Aloizio Mercadante (Ex-Casa Civil) e mais recente, José Eduardo Cardozo (Ex-Justiça), arderam sob o ‘fogo amigo’ do PT. O histórico acendeu alerta para outros ministros que passaram a afagar o partido.

Mancha no campo
Peritos Federais Agrários preparam nova ofensiva no campo e nas redes sociais contra o ministro Patrus Ananias e a presidente Incra, Lúcia Falcón. Ano passado, não houve decreto de desapropriação de terras para a reforma agrária.

Operação Acarajé 2
Há uma barraca de venda de acarajés há anos ao lado do Ministério da Justiça. Nos últimos dias, o cheiro tomou corredores. Virou hábito diário a degustação por servidores

Ponto Final
Com as revelações dia a dia das operações da PF, agora entende-se a frase da presidente Dilma sobre ‘Vamos fazer o diabo’ na eleição.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS