PUBLICIDADE
Notícias

Livro de Memórias?

12:00 | 10/03/2016
Os principais citados na delação premiada pelo senador Delcídio do Amaral (PT-MS) estão se telefonando desde sexta-feira passada. Há preocupação gritante com o caso. Mas todos consideram que a sustentação ‘delcidiana’ cai juridicamente se ele não apresentar provas de áudio, vídeo ou dinheiro em contas. Assim, classificam – por ora – a delação como ‘um livro de memórias’. Os advogados da turma estão a postos.

Depressão..
Até poucas semanas o mais adaptado à prisão – promove até rodinhas de pocker com colegas de cela – o ex-deputado André Vargas começou a dar sinais de desespero.

..e pré-delação
A família de Vargas já mandou recados velados à direção nacional do PT pedindo ajuda financeira. Expoentes do partido acreditam ser sinais de que pode fazer delação.

Passando o recibo..
É tamanho o compromisso do líder Leonardo Picciani (RJ) com o Governo sobre fortalecer a parceria que até o simples ato de filiação de deputados virou uma grande festa no PMDB. Ontem à tarde foi transferida em cima da hora a filiação de Valtenir Pereira (MT) para uma sala de um ministro no Palácio do Planalto.

..e crescendo a bancada
Valter acabara de entrar no recém-criado Partido da Mulher Brasileira, e foi fisgado pelo canto dos peemedebistas. Semana que vem, quem troca o PPS pelo PMDB é o deputado Moisés Rodrigues (CE). É Picciani fazendo o dever de casa.

O mistério Pizzolatti
O ex-deputado João Pizzolatti, condenado no Mensalão e afogado no Petrolão, segue internado em estado grave em hospital de Boa Vista (RR). Ele caiu na escada de casa, fraturou oito costelas e perfurou o pulmão. A polícia investiga briga antes da queda.

Eu, hein!?
Nada convincente o deputado Vinícius Gurgel (PR-AP) dizer que misturou remédio tarja preta antes de assinar sua carta de renúncia ao Conselho de Ética da Câmara. “A mim, não convenceu nem um pouco”, diz à Coluna o presidente do Conselho.

A carruagem
Quem passa debaixo de sol de 40º ou enlatado dentro de um ônibus sem ar condicionado em frente à Assembleia Legislativa do Rio deleita-se com um Porsche Cayene de R$ 600 mil estacionado na porta. É do presidente Jorge Picciani, e blindado.

Mais um qualquer
Partiu da diretoria do IML da Polícia Civil do DF a ordem para que o empresário-detento Luiz Estevão fosse tratado sem regalias, “como qualquer outro preso”. Os médicos e agentes seguiram a recomendação à risca durante o exame de corpo de delito diante de um Estevão emburrado, mas sem perder a pose.

Ameaça-bordão
Com a ameaça de derrocada do PT e do Governo Dilma, o boliviano e loquaz líder Sem Terra, João Pedro Stédile, intensificou agenda de visitas aos assentamentos do País: “Vamos parar todas as estradas, receberemos comidas pra sustentar o povo em luta”

Não é piada
É chamado de “profeta” pelos fiéis o bispo-auxiliar da Arquidiocese de Aparecida (SP), Darci José Nicioli, que, em improvisada parábola direcionada ao ex-presidente Lula, pregou: “Peça, meu irmão e minha irmã, a graça de pisar a cabeça daqueles que se autodenominam jararacas”. Lula teve condução coercitiva dias depois.

Grande Unzaga
Muito atual a frase que ditava Oscar Unzaga de la Vega, líder da Falange Socialista Boliviana assassinado pelo MNR, grupo político opositor que denunciava por corrupção: “O interesse os une, o crime os ata, e o medo os agrupa”.

Ponto Final
“Não há nem clima e nenhuma vontade de acabar com a democracia"

Do ministro do Supremo Tribunal Militar (STM), Francisco Joseli Parente Camelo.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS