PUBLICIDADE
Notícias

Senado bancou hotel de luxo para o preso Delcídio

12:00 | 20/02/2016

O Senado Federal bancou dois meses de um hotel de luxo para o senador Delcídio Amaral (PT-MS) enquanto ele estava trancafiado numa sala do BPTran do Distrito Federal. Na cadeia desde 25 de novembro até ontem, o senador usou a cota de auxílio moradia no valor total de R$ 11 mil de novembro e dezembro – R$ 5,5 mil por mês. O dinheiro foi para o hotel cinco estrelas onde o senador se hospeda (e onde foi detido) em Brasília. Assim, manteve suas roupas e objetos pessoais, os quais vai reencontrar agora.

Mais despesas
Ainda em novembro, o Senado pagou R$ 7.006,03 de cota de ‘atividade parlamentar’.


Freio de arrumação
Em dezembro, com a certeza de que o petista não sairia da cadeia, o Senado cortou as verbas, com exceção do hotel.

FHC & Miriam – Parte 2
Foi o presidente Fernando Henrique quem renovou na sua gestão a concessão da Dufry, de Jonas Barcellos, para operação nos aeroportos da Infraero.

Vale-tudo
No vale-tudo da União para fazer caixa, é uma surpresa a ideia da presidente Dilma de criar lei para aproveitar R$ 5,7 bilhões de precatórios não resgatados por beneficiários nos últimos quatro anos, na Caixa e no BB. O grande mistério é: quem não quis receber os precatórios? Desde que mundo é mundo, dinheiro é bem vindo.

Desespero
Os advogados do senador Delcídio entraram em desespero ontem ao descobrirem que o BPTran não tinha fax para receber a ordem de soltura: “Ih, não temos aparelho”, disse um oficial ao advogado Luís Henrique Machado.

Bye, bye
O Citibank está deixando o Brasil. Não aguentou o tamanho do calote de clientes no crédito pessoal e vai vender as agências. Com alta inadimplência na carteira, o banco está concedendo até 85% de desconto aos devedores. E mesmo assim não recebe.

Vitória de Pirro
Picciani para líder do PMDB é a maior vitória de Pirro da política atual. Ele só pode entregar ao Planalto 37 dos 67 votos da bancada. E emplacou três ministros!

Imagina se ele vai
“Estávamos preparados para o pior”, comenta oficial do Choque de SP sobre o clima de guerra entre lulistas e anti-lulistas na porta do Fórum da Barra Funda. E Lula nem foi.

Fritura no MP
Integrantes do Conselho Nacional do MP criticam a decisão do colega Valter Shuenquener, que suspendeu o depoimento do ex-presidente Lula sobre o triplex. Curiosidade: Shuenquener advogou para Petrobrás e foi aluno “aplicado” do ministro do STF Luís Roberto Barroso, que entrou na Corte pelas mãos da presidente Dilma.

Mesa pra dois
O deputado Hugo Motta (PB), derrotado para líder do PMDB contra Picciani (RJ) – o candidato do Governo – encontrou num jantar o ministro da Secom, Edinho Silva, na véspera da eleição. “Foi um encontro casual, de amigos”, desconversa Motta.

Vespeiro
Dilma provoca o evangélico Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Recebeu na quinta-feira grupo de evangélicos contra ele: “Frente a casos como o que protagoniza o atual presidente da Câmara, a corrupção não é a marca distintiva da política para evangélicos”

Zika Air
Sob recomendação de não usarem os aviões para irem para casa, ministros aproveitaram a caravana contra o zika vírus e voaram nos jatinhos da FAB para seus redutos. Jaques Wagner (Casal Civil) foi para Salvador; Patrus Ananias (MDA) baixou em BH; Aldo Rebelo (Defesa) e Edinho Silva (Secom), em SP; e Miguel Rossetto, em Porto Alegre.

Fiquei
Ausente na mobilização contra o Aedes sábado passado, o chanceler Mauro Vieira preferiu ficar sob o ar-condicionado do Itamaraty e assistir a palestra sobre o combate.

Ponto Final

“O PMDB implodiu”
Do deputado Paulinho da Força (SDD-SP), conselheiro de Eduardo Cunha, ao criticar a recondução do adversário Leonardo Picciani (PMDB-RJ) à liderança do partido.

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste

TAGS