Cada um por si em 2018
PUBLICIDADE
Notícias


Cada um por si em 2018

12:00 | 05/01/2016
As eleições municipais estão à porta, mas os grandes partidos não param de negociar, desde já, os seus nomes para o pleito presidencial de 2018. Controlador do PSDB e da maioria dos delegados, Aécio Neves mantêm-se como o nome tucano. Ciente disso, o governador paulista Geraldo Alckmin não descarta se lançar pelo PSB – puxado pelo seu vice-governador Márcio França (PSB). Cristóvam Buarque pode trocar o PDT pelo PPS para voltar ao combate. Lula é nome certo no PT, e o militar e deputado Jair Bolsonaro entra no PSC, onde o Pastor Everaldo cederá o lugar para a disputa.

Rede montada
Com a REDE Sustentabilidade oficializada, Marina Silva engrossa a lista. O partido tenta este ano se fortalecer com eleição de prefeitos e vereadores, crucial para 2018.

Efeito Gratidão
Gilberto Kassab pode ceder o PSD para o senador José Serra, que o lançou na política. Mas Kassab também conversa muito com o governador Marconi Perillo (PSDB-GO).

Lenha
Dois motivos colaboram para antecipação das articulações: A instabilidade política da presidente Dilma e a tradicional precipitação do debate para ninguém perder o timing.

Anedotário..
Notório contador de piadas políticas nas rodinhas do Poder, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, animou grupo de colegas no Ministério da Fazenda nos últimos dias de dezembro. Mas esqueceu-se de relatar caso hilário seu. De como pediu votos para uma velhinha que ‘controlava’ um clã de 40 eleitores.

..alckminista
O caso ocorreu em Pindamonhangaba (SP), quando era prefeito candidato à reeleição. Após meia hora de propostas, na casa da matriarca, ela garantiu voto nele, mas pediu dinheiro para o ônibus. Revelou então que todos ali votavam em Minas Gerais.

Passando o ponto
Se depender do presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Arthur Lira (PP-AL), a análise dos recursos para paralisar o processo contra o aliado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) será conduzida pelo seu sucessor. Apesar de poder permanecer no comando do colegiado antes da eleição da nova presidência, em 2016, Lira quer passar o ‘ponto’.

Em escombros
O novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, foi acordado logo cedo para ser avisado de que a portaria do prédio da pasta fora destruída. Um susto maior ao saber que fora por funcionário da Receita. Barbosa tem missão de tirar a economia dos escombros.

Vem mais aí
As movimentações da Justiça indicam que vem mais prisão na praça. Políticos, lobistas e empresários na mira da Lava Jato tremeram com a notícia de que mais cinco subprocuradores vão reforçar as investigações. Agora são 30 procuradores, subprocuradores e promotores que integram o time que vai ampliar a caça aos corruptos.

Indiretas
A simples citação da renomada operação “Lava Jato” leva parlamentares do Congresso ao desconforto. Dois assessores brincavam: “Que pasta é essa amigo? Processos da Lava Jato?”, ironizou um deles. Um senador-alvo das investigações apressou o passo, pegou o celular e, visivelmente constrangido, entrou no primeiro gabinete.

Ponto Final
A Caixa tem obrigação de explicar como quatro sortudos capixabas que não se conhecem acertaram as seis dezenas da Mega da Virada.

Com Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS