PUBLICIDADE
Notícias

Temer isolado e enfraquecido

12:00 | 18/12/2015
O vice-presidente Michel Temer sai sangrando e muito enfraquecido da disputa no PMDB da Câmara que reconduziu Leonardo Picciani (RJ) à liderança da bancada. Descendo a cortina do espetáculo, revelam-se as entranhas de uma disputa muito maior entre dois grupos. Temer associou-se a Eduardo Cunha, prestes a cair, e ao ex-ministro Eliseu Padilha, sem poder. De outro lado, há a família Picciani, Sérgio Cabral, Lula, o governador do Rio, Pezão, e o presidente do Congresso, Renan Calheiros. Temer está isolado, e corre sério risco de perder o comando do PMDB na iminente convenção.

Plano B
Há uma forte articulação de Lula, com apoio de Renan e outros caciques, para fazer Sérgio Cabral presidente do PMDB. Cabral sumiu do cenário nacional e até no Rio.

Cabo eleitoral
Renan ligou pessoalmente para vários deputados que votaram contra Picciani. Deve-se ao presidente do Senado a conversão de três votos para o líder reconduzido.

Cara na porta
Líder por 48 horas, Leonardo Quintão (MG), do grupo de Temer, ligou para Renan e não foi atendido. Pisou firme até o gabinete, e deu com a porta na cara. Renan estava lá.

Te cuida, Lobão
A Operação da PF no Postalis, o fundo previdenciário do Correios, vai pegar em cheio o PMDB e resvala nos apadrinhamentos do senador Edison Lobão (PMDB-MA) no Conselho. O Postalis foi o fundo federal que mais sangrou nos últimos anos com investimentos mal feitos e fortes suspeitas de desvios.

Vitória de Janot
A cúpula do PMDB e os ministros do Planalto apostam na queda de Eduardo Cunha da presidência da Câmara em fevereiro. A avaliação é a de que o PGR Rodrigo Janot não pediria ao STF a cabeça de Cunha se não tivesse certeza de que a Corte a serviria.

Filho de peixe
Filho do ex-governador Sérgio Cabral, o secretário estadual de Esporte do Rio, Marco Antônio, retomou a vaga de deputado federal para assegurar voto a Picciani na liderança. “Fico até fevereiro”, revela, indicando que vai esperar a poeira baixar.

Mineirinho
Esperto é o deputado Newton Jr. Cotado para ministro da Aviação Civil, não quis se indispor com ninguém e não assinou nenhuma lista. “Prego a união da bancada”, diz.

Roda viva
Líder do DEM na Câmara, o deputado Mendonça Filho (PE), resumiu: “Lava Jato agora colocou o PMDB na roda. Está tudo contaminado”.

Serra x Aécio
A bancada do PSDB na Câmara rachou para valer e Aécio Neves levou a melhor sobre José Serra. Foram 28 votos a favor de Antonio Imbassahy (BA) contra 23 de Jutahy Magalhães (BA). Foram representantes de uma disputa maior. Imbassahy foi indicado por Aécio, e Jutahy sempre foi apadrinhado de Serra.

Dupla goiana
Dois deputados goianos se destacaram na disputa interna e chamaram a atenção de Aécio pela desenvoltura. A cúpula do tucanato contabiliza nas ações de Fábio Sousa e Baldy a grande maioria dos 23 votos de Jutahy. Fábio é potencial candidato a líder.

Guerra
Conselheiro e defensor de Cunha, Paulinho da Força (SD-SP) taxou de “guerra” a devassa que a Polícia Federal fez nas casas e escritórios do aliado: “Esse governo vai fazer de tudo para derrubar o impeachment”.

Bordeaux
Mesmo distante do presidente da Câmara, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) levantou a bandeira do “fica” do colega: “Se ele sai, Dilma abre um vinho Bordeaux. Melhor que ele fique e enfrente esse estado policial.”

Covardia
Ex-editor da Folha de Pernambuco, Henrique Barbosa foi agredido um safanão na rua, no Recife, pelo ex-patrão Eduardo Monteiro. O jornalista já o processa por ter conta bloqueada por rolos judiciais de Eduardo, que é irmão do ministro Armando Monteiro.

Papai Noel 2018
Matéria do site da prefeitura de Jaraguá (GO) agradece ao ex-prefeito Lineu Olímpio, presidente da Conab, a doação de feijão e leite para os moradores.

Ponto Final
O STF deu à presidente Dilma o que ela queria. O jogo recomeça do zero na Câmara.

Com Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS