PUBLICIDADE
Notícias

A reforma do Senado

12:00 | 11/06/2015
A despeito da boa relação entre os presidentes das Casas, e da supremacia do PMDB na Câmara e Senado, a reforma política aprovada pela gestão de Eduardo Cunha será alterada sob comando de Renan Calheiros, que já o avisou. Renan fez chegar a Cunha que, numa sondagem preliminar com líderes, o Senado vai confirmar o fim da reeleição para cargos majoritários, mas proporá mudanças no financiamento de campanha. Por ora, a sugestão mais concordada, é de que as empresas possam doar até 7% do valor do custo de campanha informada ao TSE pelo candidato.

Dinheiro vai..
A proposta que passou proíbe doação de empresas para os candidatos, somente autorizada para os comitês. Se mesmo alterada, a emenda volta para análise da Câmara.

..e vem
No Senado, é consenso também que deve cair a cláusula de barreira que limita acesso ao fundo partidário por partidos sem representação. É o caminho aberto para REDE e PL.

Lupa no bancão
Ainda de mal com a presidente Dilma, Renan não vai deixar barato. A CPI dos Fundos de Pensão não passou, mas ele leu a abertura da CPI do BNDES, e o cerco será na lupa.

UFC Maioridade
Foi assim: a deputada Jandira Feghali (PCdoB) forçou a segurança da Câmara a aceitar a entrada dos estudantes da UBES no plenário da Comissão de Educação, que precedeu a reunião da polêmica comissão da PEC da Redução da Maioridade Penal. Apesar dos alertas dos agentes, a deputada se comprometeu pelo grupo. Deu no que deu.

Ringue parlamentar
Os estudantes, contra a redução, começaram a gritaria no plenário e tumultuaram a sessão. Quando o clima esquentou, os seguranças tiveram trabalho dobrado: os deputados prós e contra a mudança da lei foram às vias de fato. Na confusão, sobrou spray de pimenta. Votação do relatório sai em reunião, sem público, semana que vem.

Palavra de governador
O federal Danilo Forte (PMDB-CE), relator do novo pacto federativo na comissão mista no Congresso, vai convidar mais três governadores antes de concluir o texto: Ivo Sartori (RS), Camilo (CE) e Paulo Hartung (ES).

Beleza natural
Na busca de investimentos para o Estado, Flávio Dino comemora estreia dia 16 do voo da SETE de Brasília para Carolina, na Chapada das Mesas, no Sudoeste do Maranhão.

Quem será?
O deputado Major Olímpio declarou que havia a filha de um colega na confusão no UFC da Maioridade na comissão na Câmara, mas depois silenciou.

Alckmin x Aécio
Deputados do PSDB se mostram surpresos com a repentina pauta nacional do governador Alckmin contra a redução da maioridade penal, na contramão da cautela que o partido assumiu para debater o assunto. E ainda conversando com o PT.

Mote para oposição
Dizem que não era hora de o paulista se lançar em campanha pelo Planalto, evidenciando um ‘racha’ que não existe com Aécio, o candidato natural. Para piorar o cenário, o senador José Serra, desafeto de Aécio, colou em Alckmin e o elogia.

Fundo e o In$tituto
O aumento do fundo partidário para R$ 867,5 milhões abriu os olhos dos políticos e iniciou uma velada briga pela presidência dos institutos das legendas. É que muitos partidos levam tão a sério os institutos que são estes que administram os diretórios.

Saldo em 2015
O PT, por exemplo, deve receber até R$ 117 milhões do fundo partidário este ano. Os tucanos vão abocanhar cerca de R$ 96 milhões e o PMDB terá na conta algo em torno de R$ 94 milhões, para citar apenas os três principais partidos.

Memorial Sarney
O cardiologista Manoel Brasil quer fundar em Macapá o Memorial José Sarney com exposição permanente de tudo o que saiu nos jornais desde que o veterano estreou seu mandato pelo Amapá. Já coleciona 3 mil reportagens e montou equipe.

2016 na porta
A jovem deputada estreante Mariana Carvalho (PSDB) estuda se candidatar à Prefeitura de Porto Velho (RO). Tem sido instigada pelo senador Aécio.

Ponto Final
Brincadeira ontem no STF: O que cantou a biografia não-autorizada para Roberto Carlos? ‘Eu voltei, agora pra ficar...’

Com Equipe DF, SP e Nordeste
TAGS