PUBLICIDADE
Notícias

Pamonhada do MST vai coroar estreia de Patrus

12:00 | 06/01/2015
Atualizada às 18h30min do dia 7/1
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) já comemora a conquista da mega fazenda Santa Mônica, no interior de Goiás, de 20 mil alqueires, de propriedade do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Os sem-terra preparam uma ‘pamonhada monstro’ para as próximas semanas, com a primeira colheita da plantação de milho na parte da fazenda ocupada há cinco meses pelo movimento. 

Outra novidade vem da ‘Casa Grande’ do parlamentar. Conforme noticiamos, ele avisou ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) que está disposto a negociar a fazenda. Detalhes surgiram ontem: Eunício quer ficar com a sede (cerca de 200 alqueires) e negociar com o governo uma boa indenização pela desapropriação dos outros aproximados 19.800 alqueires. Ou negociar 80% da propriedade. Mas o INCRA não aceitou a proposta e quer a fazenda inteira. E nisso está o impasse. Na Santa Mônica, há criação de milhares de gados para corte, e plantação de soja que seria terceirizada. A fazenda é tão grande que abrange terras em três municípios goianos. 

A se confirmar o assentamento, como preveem os sem-terra e o INCRA, o episódio coroa a estreia do ministro Patrus Ananias no Ministério do Desenvolvimento Agrário. Patrus, que andava sumido do mapa político, voltou ao governo na segunda gestão de Dilma. Uma curiosidade, o petista é amante de literatura e mestre na obra de Guimarães Rosa. De acordo com a assessoria do senador, a Fazenda Santa Mônica é produtiva, inclusive lavrou-se certidão do INCRA a confirmando 'altamente produtiva', não podendo ser desapropriada. O INCRA está com edital para comprar (outras) terras na região como forma de resolver o impasse.

Lula e o câncer
Blogueiros bancados pelo governo federal e um site pago com patrocínio estatal do governo do PT investiram pesado em ataques pessoais contra o repórter no domingo e ontem, tão logo a rede Esplanada de jornais noticiou com exclusividade, inclusive neste veículo, o novo câncer de Lula, confirmado por quatro fontes próximas ao ex-presidente, numa apuração que levou dois meses. 

Procurados antes da publicação, o Instituto Lula e o Hospital Sírio Libanês não se manifestaram e soltaram nota só depois da divulgação. Nela, o hospital apenas repete um boletim médico de 15 de novembro informando estar normal a saúde do ex-presidente. Em momento algum desmente o publicado pela Coluna: que Lula descobriu novo câncer no pâncreas e o tratou com forte medicamento importado, desde início de 2014, o controlando. Daí, obviamente, o quadro clínico estar normal. Lula fez incursões ao Sírio durante madrugadas todos os meses para o acompanhamento médico sobre a evolução do medicamento e o check-up, confirmou um dos médicos.

O repórter confia em suas fontes, cumpriu seu papel de noticiar e, pessoalmente, torce para que o ex-presidente fique muito bem de saúde e esteja de fato curado.

PF em alta
A credibilidade de uma das instituições públicas mais respeitadas na sociedade tem elevado a Polícia Federal a posição de destaque nos governos de Estado há alguns anos. Em entrevista exclusiva à Coluna, há três meses, o diretor-geral da PF, delegado Leandro Daiello, revelou que havia 200 grandes investigações em andamento contra a corrupção. E os governadores, pelo visto, estão dispostos a boas parcerias.

Oito delegados federais, sete ativos e um aposentado, foram nomeados secretários de Segurança Pública de governos empossados dia 1º de Janeiro, comemora a ADPF - Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.

Segundo a ADPF, "no Nordeste, dos nove Estados, quatro terão Delegados Federais nas secretarias de segurança pública. Na Bahia, em Pernambuco e na Paraíba os DPFs Maurício Teles Barbosa, Alessandro Carvalho Liberato de Mattos e Cláudio Lima continuarão no cargo. No Ceará, quem tomou posse foi o DPF Delci Teixeira".

Outros nomes são Joaquim Cláudio Figueiredo Mesquita (Goiás), Sérgio Fontes (Amazonas) e Wantuir Jacini (Rio Grande do Sul).
TAGS