PUBLICIDADE
Notícias

Chineses exigem que Dilma drible a lei em obra do PAC

12:00 | 01/11/2014
A usina de Belo Monte, no Pará, deve inaugurar as três primeiras turbinas daqui um ano, mas outra obra do PAC tão importante está emperrada: as linhas de transmissão do Norte para o Sudeste. Sem elas não adianta gerar energia. O consórcio vencedor do leilão das linhas, liderado pela estatal chinesa State Grid Brazil Holding (com Eletronorte e Furnas), não ergueu um poste ainda no trajeto. Nos bastidores, os chineses pressionam o governo a burlar a lei e contratar operários em regime de Pessoa Jurídica, e não por CLT. E o pior: agora exigem que dois terços dos operários sejam chineses.

Resolve aí!
No meio da campanha, Dilma escalou Ademar Palocci, irmão do ex-ministro da Casa Civil, para negociar com os chineses. Palocci 2 é diretor da Eletronorte.

Nas mãos deles
Os chineses são majoritários no consórcio (51%), com Furnas e Eletronorte sócias – 24,5% para cada. A transmissão de Belo Monte está nas mãos do governo da China.

Soberania, que nada..
Não é de hoje que os militares alertam o Planalto para a questão de soberania sobre a produção e transmissão de energia. O governo decidiu ‘entregar’ para os comunistas.

Cronograma
As obras, orçadas em R$ 5 bilhões, deveriam ter iniciado em abril deste ano, a tempo de ligar Belo Monte às linhas da Chesf em 2 mil km. Para abastecer o Sudeste.

Português x Mandarim
Palocci 2 foi encarregado pela presidente Dilma de convencer os chineses de que não haverá ‘trabalho escravo’ no Brasil – ou seja, um eufemismo para evitar contratos via PJ – ainda por cima de chineses! – e para lembrar aos parceiros de que a legislação brasileira exige a aplicação da CLT em todas Sociedades de Propósitos Específicos.

O exército chinês
Os chineses, em conversas com o governo, querem fazer do seu jeito – como em seu país – e alegam que aqui os custos trabalhistas seriam altíssimos, sem margem de lucro. Um detalhe: a obra envolverá nada menos que 12 mil empregos diretos.

Faltou luz?
O custo das linhas envolve compra e instalação de 28 transformadores e 25 mil quilômetros de fios e 4,5 mil torres que sustentam os cabos. Por três dias a Coluna tentou resposta da Eletronorte, em vão. Ontem à tarde, procurou Adhemar Palocci, diretor de Planejamento, no escritório, e não o encontrou.

Zé da Penha
A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) anunciou no Twitter que vai apresentar emenda para a Lei Maria da Penha beneficiar gays e transsexuais.

Jorgina é uma santa
A PF prendeu outra quadrilha que fraudava INSS no Sul. É o segundo caso, depois da revelada fraude milionária do advogado Maurício Dal Agnol. Aliás, o Departamento de Recuperação de Ativos da Justiça opera para tentar vender e reaver o dinheiro do apartamento de US$ 5 milhões de Dal Agnol em Manhattan (NY).

Guerra dos votos
Ao pedir oficialmente a auditoria na apuração dos votos da eleição presidencial, o PSDB levou em conta a informação de que somente o ministro Dias Toffoli, presidente do TSE, e um seleto séquito de técnicos de sua confiança tiveram acessos aos dados.

Nem gringo viu
Ou seja, numa outra sala, sem poder acompanhar a apuração em tempo real, ficaram os ministros convidados dos tribunais, advogados dos partidos e por baixo 110 ‘observadores internacionais’. Que, por isso, não.. observaram nada.

Sem sinal
Por nova lei, as telefônicas terão de entregar 80% do serviço contratado de banda larga, e não mais 30%, uma afronta ao código do consumidor. Com tudo tratado, com tempo de sobra para instalação de torres nos últimos anos, tem ‘tele’ que ainda não entregará.
Cotados da Toga
José Eduardo Cardozo é o mais cotado para a vaga de Joaquim Barbosa no STF. E Márcio Thomaz Bastos, potencial nome a voltar para o Ministério da Justiça.

Só falta a água
A Lei nº 13.042, recém-aprovada, denomina Antônio Conselheiro a ponte sobre o Rio São Francisco, na Rodovia BR-116, na divisa entre a Bahia e Pernambuco.

Ponto Final
Ontem foi o Dia das Bruxas. Parabéns, Inflação, seu dragão!
TAGS