PUBLICIDADE
Notícias

A ofensiva do PT

12:00 | 04/10/2014
O PT concluiu há uma semana a entrega de quase 30 mil CDs para diretórios em 3 mil cidades do Brasil, na impossibilidade de a presidente Dilma comparecer. A mensagem, enviada para prefeitos, candidatos a proporcional e militantes, foi usada no programa eleitoral de TV local. Era um recado do ex-presidente Lula pedindo votos, com pequena aparição de Dilma. Com o poder da TV diante da indecisão de milhões de eleitores, o PT acredita que a estratégia na reta final foi essencial para que Dilma se descolasse de Marina Silva e subisse. Cada pequeno município recebeu ainda dois DVDs.

O idealizador
O arquiteto dessa ofensiva foi Romênio Pereira, Coordenador nacional para Pequenos Municípios da campanha petista.

Máquina municipal

A máquina municipal pró-Dilma atuou forte, escancaradamente, nas ruas. O PMDB com 1.007 prefeitos e 7.950 vereadores; e o PT, com 619 e 5.067 respectivamente.

Atiradores de elite

Toda campanha tem seu atirador. Entre os que se destacaram: Brizola (89), Eneas (94 e 98), Garotinho (2002), Heloísa Helena (2006), Plínio (2010). Este ano é Levy Fidelix.

Tá explicado

O presidente da Convenção das Assembleias de Deus do Brasil, bispo Manoel Ferreira, líder da igreja do candidato Pr. Everaldo, gravou depoimento de apoio para Dilma na TV porque é 1º suplente do candidato ao Senado pelo PT de Brasília, Geraldo Magela. Se este for eleito e optar por um cargo no governo federal, em caso de vitória de Dilma, bispo Ferreira se torna senador.

De carona

Entre os cinco deputados federais mais votados de Minas há três eleições, Lael Varella (DEM) tornou-se segundo suplente de Antonio Anastasia (PSDB), que deve ser eleito amanhã senador por Minas. Lael tem o mesmo projeto do bispo Ferreira: tornar-se senador da noite para o dia
sem nenhum voto.

O vitorioso

Eduardo Jorge sai como um dos vencedores de 2014, apesar de não eleito. Mostrou a cara para um País que não o conhecia. O médico fundador do PV não caiu em contradições. E ainda lembrou que foi o idealizador dos genéricos da Farmácia Popular.

Invasão virtual

Os candidatos Adélia Frejat, a distrital, e Michael Roriz, a federal, usaram serviço de uma operadora de telefonia para enviar torpedos a eleitores do DF pedindo votos.

Sete meses

O brasileiro Arlan Fick completa hoje, se vivo, 17 anos. Ele foi seqüestrado há sete meses pela milícia Exército do Povo Paraguaio. A família pagou o resgate e não o viu.

Jogo combinado

Ficou evidente no debate da Globo as tabelinhas combinadas entre Dilma e Eduardo Jorge, com questões programáticas; e Aécio e Pr. Everaldo, com ataques ao governo. Luciana Genro tentou combinar com Levy e se deu mal: ele a entregou.

Reencontro
A face real da rixa figadal entre as duas revelou-se em rede nacional: Mesmo com microfones desligados, Dilma e Marina reeditaram na TV Globo as discussões que tinham quando ministras de Lula. Era o ‘Barba’ quem segurava seus egos.

Olheiros eleitorais
Chegaram ao Brasil – muitos ficarão em Brasília, para ver a totalização dos votos – centenas de estrangeiros convidados pelo TSE para acompanharem a eleição como observadores internacionais: 21 países enviaram ‘olheiros’.

Mundo tem jeito
A Organização Médicos Sem Fronteiras divulgou seu relatório anual, referente a 2013: atendeu 9 milhões de pessoas em 63 países. Entre muitos combates a doenças, destacam-se atendimentos a 233 mil desnutridos. Foram feitos 182.200 partos.

Triste cenário
Acredite, mais de 9 milhões de sírios – metade da população do País – estão entre os deslocados internos ou refugiados em países vizinhos.

Ponto Final
Balanço para Luciana Genro (PSOL) na campanha: Dois adversários a mandaram estudar, e um tascou que não está preparada. Apanhou muito.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

TAGS