PUBLICIDADE
Notícias

Ex-diretor usa dados do Senado para campanha

12:00 | 12/09/2014

O deputado distrital do DF Agaciel Maia saiu do Senado, mas o Senado não saiu da sua vida. Apeado do cargo após uma série de escândalos denunciados, o ex-diretor-geral do Congresso virou alvo da Polícia Legislativa que já comandou. A investigação começou esta semana após registro de ocorrência de dois servidores novatos do Senado. Eles receberam em suas residências material de campanha impresso de Agaciel, candidato à reeleição. A Polícia vai investigar se houve vazamento de dados sigilosos dos funcionários, e se mais servidores foram alvo do mailing. O Senado não se pronunciou.

Sei de nada..
O deputado diz que é ‘sempre favorável às ações de investigação, mesmo convicto de que a atuação das estruturas da sua campanha se dão com observância da legislação.’

Por falar nela..
..A Câmara Distrital é conhecida das Polícias. São egressos dela os deputados que recebiam dinheiro de Durval Barbosa, que denunciou parte deles em vídeo.

Cine Durval

Barbosa foi diretor de uma agência de fomento nos governos Joaquim Roriz e José Roberto Arruda. Preso e acuado, abriu o baú de filmagens e denunciou meia dúzia.

‘Vem bomba aí’

Citado pela VEJA como um dos suspeitos de receber propinas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, o deputado Candido Vaccarezza (PT-SP) andava tenso ao telefone ontem pela manhã no terminal 2 do Aeroporto de Brasília. Reclamou com interlocutor de notas da imprensa, e soltou: ‘Se prepara que vem bomba aí’.

Regina é um anjo
Tão critica pelo PT em 2002 com a frase ‘Estou com medo’, Regina Duarte não passa de uma namoradinha do Brasil perto do terrorismo eleitoral que os petistas fazem na TV contra Marina Silva, em campanhas bem montadas com atores amadores.

Orçamento amarrado
Do presidente do TCE de Goiás, Edson Ferrari, em evento no TCE do Sergipe sobre os 50 anos da lei 4320, de fiscalização das contas públicas: 74% do orçamento da união vai para custeio de benefícios diretos – servidores, bolsas, repasses sociais.

Pendura

Ainda segundo Ferrari, a dívida interna do governo federal e dos Estados atualmente é impagável: são R$ 3,5 trilhões.

Sai, não sai..
O comando da campanha de Marina Silva (PSB) discutiu a portas fechadas, a pedido da empresária, a saída de Neca Setúbal, sócia-herdeira do Itaú, para preservar a candidata de ataques. Decidiram que Neca fica. Sair seria passar recibo às acusações petistas.

Sem noção

Candidato à reeleição, o deputado Wolney Queiroz (PDT-PE) está ‘perdido no tiroteio’. Faz questão de alinhar-se com PDT nacional, junto a Dilma, cujo candidato é Armando Neto (PTB), mas no reduto Queiroz apoia Paulo Câmara (PSB), aliado de Marina.

Em baixa
No Amapá, o PT anda tão em baixa que há dez anos não tem candidato majoritário – se alia ao PSB. A candidata petista ao Senado, Dora Nascimento, não passa de 5%, em 4º lugar, indica a última pesquisa publicada pelo Jornal do Dia.

Tratorando!

O ex-senador Gilvam Borges, defenestrado do cargo pelos Capiberibe, pode voltar triunfal. Lidera com 34%. Borges ficou tão revoltado à época da degola no tapetão que um dia pegou a direção de um trator e tentou abrir uma rua que o povo há anos pedia.

Ação e reação
Há anos a autofagia tucana não para. Nas anteriores, Aécio Neves foi acusado veladamente por aliados de abandonar José Serra (2002 e 2010) e Alckmin (2006) na disputa pelo Planalto. Agora, é Aécio quem leva o troco. Está perdendo até em Minas.

Lula, o esperto
De um expert que trafega na política desde que dom Pedro soltava pipa: O ex-presidente Lula torce também por Marina Silva. Seria uma forma de ele voltar por cima numa candidatura em 2018.

Ponto Final

Com a bomba armada na economia e a recessão, Marina ou Dilma terá dificuldades para governar nos próximos dois anos.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

TAGS