PUBLICIDADE
Notícias

'Nada de estrangeiros", diz a matriarca

12:00 | 19/08/2014

Dona Renata Campos, como é chamada por aliados do falecido marido Eduardo, mostrou ontem por que era o braço direito do presidenciável e participava de reuniões de governo. Chamou para si a responsabilidade de nortear as decisões das chapas do PSB ao Planalto e ao governo de Pernambuco. ‘Nada de estrangeiros’, soltou, firme, para amigos próximos. Referiu-se ao futuro vice de Marina Silva na campanha. Apesar da pressão popular por seu nome, dona Renata não quer entrar no páreo. O potencial nome será de um pernambucano, entre eles o ex-deputado petista Maurício Rands.


Plano B
Se houver risco de racha, a própria Renata não descarta ceder aos apelos e se lançar de vice. Mas é pouco provável, porque é hora de cuidar dos filhos, em especial do bebê.


Dor de mãe
A ministra do TCU Ana Arraes, mãe de Eduardo, estava inconsolável e repetia para os próximos o porquê de não ter sido ela no lugar do filho no acidente.


Mistérios
Aos sussurros, gente importante de Pernambuco fala em atentado. Alguns levantam dúvidas sobre drones em voo em Santos, e sobre a silenciosa caixa-preta.


Estrangeiros
Ex-aliados, os irmãos Ciro e Cid Gomes foram ignorados pelo staff do Governo. Ficaram fora da tenda de autoridades e foram vistos na fila do bebedouro no Palácio.


Má hora
Caciques políticos repararam ao saírem do velório de Eduardo Campos: não foram vistos por lá os senadores José Sarney (PMDB-MA), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB-AL). Os três foram duramente criticados por Campos no primeiro programa eleitoral gravado para TV. O PSB não confirma se vai exibi-lo hoje.


Má hora II
Pegou mal para Marina Silva dizer que foi salva do acidente por providência divina. O que mais se pergunta nas redes sociais – seu grande trunfo para este ano, como foi em 2010 – é por que Deus a preservou e não teve piedade de Eduardo Campos e equipe.

Metralhadora giratória
Quem acompanhou o depoimento da secretária do doleiro Alberto Yousseff no Congresso previu que a cúpula do governo do Maranhão terá muito o que explicar. E ela não revelou nem dez por cento do que sabe.


Amarelou
Mal a ministra Luciana Lóssio do TSE determinou audiência para sexta, o advogado do deputado André Vargas (sem partido) protocolou petição com pedido de cancelamento.


Alô, ministro!
Sem sucesso há um ano nos trâmites judiciais contra a Infraero, o AeroClube do Brasil, cujo despejo dos hangares em Jacarepaguá (RJ) foi determinado pela Justiça, busca nova sede. Pilotos querem recorrer ao ministro Moreira Franco, da Aviação Civil.


História
O AeroClube foi fundado há 103 por Alberto Santos Dumont e desde então ocupou sedes no Rio cedidas pela Aeronáutica. A Infraero requereu os hangares para lotar servidores do Aeroporto do Galeão que ficarão sem ocupação com a concessão.


Agarrou o disco
Veja a resposta de Edinho Lobão (PMDB), candidato ao governo do Maranhão, para a pergunta do jornalista John Cutrim sobre solução para o Estado: ‘Boa pergunta... Ah, John… Venha você também para o 15! Sua mãe é 15, seu pai é 15, seu tio é 15, seu cachorro é 15, teu gato é 15 e até seu papagaio só fala em 15’.


Piada ou verdade?
Circula na internet a foto de um carro da prefeitura de Tauá (CE) com grande adesivo nas portas com a sigla COMECU (Calma, gente!): Seria a Cooperativa de Médicos Cubanos. A coluna não conseguiu contato com a prefeitura.


Correria
Diz-se que ao chegar o carro no pronto-socorro para o primeiro atendimento, a sigla na porta provocou uma correria de pacientes, de fazer manco correr como campeão.


Ponto Final
Perigo nas ruas. Suzane Von Richthofen, a que ajudou o namorado e cunhado a matarem seus pais dormindo, está em regime semiaberto.
______________________________
Com Equipe DF, SP e Nordeste

TAGS