PUBLICIDADE
Notícias

Antes da delação, ex-diretor da Petrobras mandou recado para governo

12:00 | 26/08/2014
Antes da delação premiada, o ex-diretor da Petrobras preso Paulo Roberto Costa mandou um recado velado para a cúpula do governo, por emissários: que deixassem suas filhas em paz e não mexessem com sua família. Assim, prometeu ficar calado, porque, segundo relatou, muita gente poderosa de vários partidos seria prejudicada nas eleições. Com a segunda fase da operação Lava Jato há dias, a PF e o MP Federal fecharam o cerco às suas filhas, funcionárias de sua empresa na qual há várias irregularidades. Foi o estopim para que Paulo Roberto aceitasse a delação premiada.

Pavor geral
De Norte a Sul, do Sudeste ao Centro-Oeste, muita gente do PT, PP, PMDB e até do PSDB está desesperada se Paulo realmente contar tudo o que sabe.

Nem tão cedo
Enrolado está Alberto Youssef. O ministro Teori Zavaski (STF), ao soltar anteriormente os detidos da operação, menos o doleiro, indicou que Youssef está no sal com a Corte.

Vem mais
Pelo volume do inquérito e pela lista de gente envolvida com Youssef e Paulo Roberto Costa, uma terceira e avassaladora fase não está descartada, rumo ao Rio e São Paulo.

‘Aliados’
Sem Eduardo Campos, o PSB de Pernambuco tornou-se um barril de pólvora – o fogo amigo entre ‘aliados’ e a indiferença entre os que evitam brigar é latente. O candidato ao governo, Paulo Câmara, nem cita o governador João Lyra Neto em eventos, mesmo com o próprio ao seu lado. Lyra também não engole Câmara, por ter sido preterido na indicação de Eduardo Campos para a disputa.

Esqueceram de mim
Lyra foi vice-governador por sete anos e assumiu em abril, quando Campos saiu em viagens pelo País. O clima é péssimo. Tanto é que o Paulo Câmara, na campanha, em discursos ou conversas, só se refere a Campos, como se Lyra fosse um fantasma.

Revenge
Mas há quem aposte em retaliação iminente na campanha de Câmara. O dinheiro está curtíssimo no comitê. E quem tem a caneta é o governador. Com Campos ainda vivo, já era difícil arrecadar. Lyra não vai usar sua influência para convencer financiadores.

Lotéricas, o banco
Num levantamento a Caixa descobriu que as casas lotéricas hoje – são 13.125 e só 42 cidades não possuem – são tão procuradas para pagamentos de contas quanto jogos.

Galinhada eleitoral
O presidenciável Pr. Everaldo (PSC) almoçou no domingo com o apresentador Ratinho na fazenda do artista no interior do Paraná. Esbaldaram-se em galinha caipira.

Altar Eclético
Da fazenda de Ratinho, Pr. Everaldo foi a missa campal num distrito de Apucarana (PR). E surpreendido ao ser chamado pelo padre ao altar para apresentá-lo como o único candidato que... defende os valores da família.

Língua afiada..
Candidato ao Senado pelo PT na coligação com Armando Neto (PTB) ao governo de Pernambuco, o ex-prefeito do Recife João Paulo tem apelado em suas caminhadas pelo interior. Põe medo em caso de eleição de Paulo Câmara (PSB).

.. e repertório
No repertório de João Paulo, Câmara e Eduardo Campos são traidores do PT e do povo. Fala que não fizeram nada pelo Estado, que tudo acontece ali por causa de Lula e da presidente Dilma.

Previsões (de perto)
Giannetti da Fonseca, o guru econômico da presidenciável Marina Silva (PSB) e um de seus principais avalistas no mercado, tem confidenciado a amigos que ainda não sabe se, eleita, ela vai deixá-lo fazer os ajustes necessários na macroeconomia

Alô, gestores!
O engenheiro Antônio Jorge Leitão, analista judiciário do TRF 1ª Região e diretor do setor no órgão, lança hoje à noite no Balcony Bar em Brasília a 5ª edição do livro Obras Públicas – Artimanhas & Conluios, com prefácio da ex-ministra do STJ Eliana Calmon.

Ponto Final
“Não sei se é um bom começo para quem tem que apresentar propostas e mostrar com quem vai viabilizar”

De Aécio Neves, candidato do PSDB, em ironia a Marina Silva, a qual propôs governar com FHC e Lula se eleita.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

TAGS