PUBLICIDADE
Notícias

Cachoeira & Beira mar, heróis da cadeia

00:30 | 18/05/2014
Com a chegada da bancada parlamentar à cadeia – são oito os ex-mandatários presos – vêm à tona bastidores de outros criminosos: Carlinhos Cachoeira e Fernandinho Beira-Mar. Nos meses que passou na Papuda (DF), o bicheiro Cachoeira era quem dominava. Nos serviços internos, numa sala com televisão para servidores, ele mandava trocar todo dia o canal de filmes para assistir a NBR, TV do governo. Direto de Catanduvas (PR), o traficante Beira-Mar tornou-se o maior doador de livros do sistema presidiário.

PAC do livro
Beira-Mar, que estuda direito na cadeia, ainda banca a compra de livros de ficção e não-ficção e manda distribuir através de advogados. Avisa que não são doações do governo.

Olho neles!
O governo começa a distribuir 2 mil ingressos da Fifa para índios assistirem aos jogos. Curioso é que surgiu uma onda de índios brancos de olhos verdes no Brasil.

Bolso cheio
Se os jogadores e Felipão atuarem tão bem em campo como nos comerciais milionários que fazem, a Seleção é Hexa! Do contrário, o chororô é só nosso. E sem dinheiro.

Fenômeno na tela
Um fenômeno no Ministério das Comunicações. A TVCI, de um empresário do Paraná, é o canal que mais cresce no País. Tem concessão em Paranaguá (de 2007). Desde o início do governo Lula conseguiu sete outorgas de retransmissão e está na iminência de autorização de mais 99 outorgas. A grade é comprada pelo bispo Valdemiro Santiago.

TV Pinguim
Nos bastidores do poder, a TV ganhou o apelido de TV Pinguim – por que, ninguém entende ainda. O Ministério avisa que as sete outorgas correspondem a 1,85% do total em 2011, quando a pasta emitiu 378 de retransmissoras de TV.

Bombardeio
O Ministério da Defesa não quer saber de audiência pública que a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) aprovou na Câmara para debater produção de munições cluster. Nas Américas, apenas Brasil e EUA têm fábricas. Ganham milhões por mês com exportações para Irã, Iraque e Arábia Saudita.

Estrago geral
As munições cluster consistem em bomba numa cápsula, lançada do ar e que explode antes de chegar ao chão. A cápsula abre e espalha centenas de submunições nos alvos.

Descarrilou
O governo não falou mais do Trem Bala – nem dos gastos milionários com estudos de viabilidade pagos, encomenda do ex-diretor Bernardo Figueiredo, braço de Dilma.

Tela = voto
Para o líder do PMDB Eduardo Cunha (RJ), a CPI da Petrobras vai bombar, seja qual for, porque até os candidatos vão preferir ficar em Brasília, aparecendo na TV, em vez de fazerem campanha nas bases. ‘Quem não vai querer ficar no Congresso pautando a imprensa nacional todos os dias?’, justifica o deputado.

No País da Copa
Jornalistas de sites e TVs que cobriram Goiás x Botafogo na quinta em Juiz de Fora ficaram numa ‘cabine’ improvisada com chão de tapume e pregos soltos. Os da Globo e SporTV, com direito a transmissão ao vivo, na cabine top da diretoria do estádio.

Brasil lá fora
Marcelo Rech, especialista em coberturas internacionais, participará do programa Diálogo Brasil, da Fundação Konrad Adenauer, em Berlim, Bruxelas e Roma. Há dois anos, Rech escapou de atentado em Israel. Homem-bomba explodiu a 20m dele.

Nada sobe

Assim como os brasileiros em parceria com a China – que enviaram ao mar um satélite de R$ 300 milhões – a Rússia mandou quinta para o chão um satélite de 200 milhões de euros. A dúvida é: os brasileiros aprenderam com os russos ou estes com os chineses?

Brasiiilll

Inconformados com as condições das celas no presídio Francisco Conde, em Rio Branco (AC), os detentos encomendaram material de construção e iniciaram reformas por conta própria. Revelação de Gina Menezes, do site ContilNet.

Esplanada no mundo
Acompanhe no site da coluna artigos dos correspondentes da Coluna na Europa e Estados Unidos. Fotos de Evandro Teixeira e charges de Aliedo.

Ponto Final
Esses foguetes russos e sino-brasileiros estão iguais ao PIB do Brasil. Não sobem.

Com Luana Lopes e Equipe DF e SP

TAGS