PUBLICIDADE
Notícias

Deputada cassada acusa diplomata brasileiro de liderar censura

00:30 | 10/04/2014
No jantar em sua homenagem em Brasília, a deputada cassada na Venezuela María Corina Machado revelou que o diplomata brasileiro Breno Dias da Costa foi o principal articulador, nos bastidores, para barrar seu discurso na Assembleia da OEA em Washington dia 21 de março, que acarretou em sua cassação. Com aval do Itamaraty, o diplomata atuou para excluir dos discursos o tema da crise na Venezuela. Conseguiu apoio de 22 nações, contra votos de Canadá, Panamá e EUA a favor do depoimento.

Fantoche

Em nota, o Itamaraty informou que o Encarregado de Negócios Breno Dias, da Delegação Permanente junto à OEA, agiu sob orientação do governo brasileiro.

Hum..

Segundo o Itamaraty, não houve ‘qualquer forma de manobra, mas procedimento oficial e transparente (..), o que constitui o procedimento de praxe em reuniões do Conselho’.

Na canetada!
O presidente da Assembleia Nacional alegou que ela não poderia representar a Venezuela na OEA e a cassou. Mas Corína discursou na vaga cedida pelo Panamá..

Rebelião no Tesouro
Por pouco a Força Nacional de Segurança não foi chamada ao Tesouro, na reunião entre o secretário gaúcho Arno Augustin e o deputado paranaense Luiz Carlos Hauly (PSDB), sobre o ProInveste de R$ 817 milhões que a União segurou para o governo Beto Richa. Hauly levantou-se no meio e foi embora. Disse que não ficaria para ouvir mentiras.

Encrenca
Para justificar o bloqueio do empréstimo, o Tesouro informou que o Paraná não cumpre o índice de investimento na saúde. Mas Hauly no contraponto lembrou que sobra em educação. Arno chegou a pedir que a imprensa se retirasse da reunião.

Ringue sulista
O governo do Paraná alegou que gasta em educação mais que o Rio Grande do Sul, no que Arno soltou: gastasse menos em educação e mais em saúde, e tudo ficaria certo com a contabilidade. Resultado: o caso foi parar no STF, que mandou liberar o dinheiro.

Mulher desarmada..

Seguranças mulheres que trabalham na sede da Infraero, em Brasília, estão sem armas – ao contrário de colegas homens. Qualquer problema, corra, senhora, corra muito.

..que se vire

A empresa terceirizada, segundo relatam, economiza no aluguel de revólveres. A assessoria da Infraero nega, e informa que é praxe mulher sem arma ali..

Prêmio sem mordida
Relator do projeto de lei do Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos, o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) propõe a criação da raspadinha Lotex, com uso de imagens dos clubes de futebol, mas sem a mordida do IR como nos outros prêmios.

Araguaia redivivo

Nestes tempos de Comissão da Verdade e embate entre civis e militares, ganha pauta o caso do massacre da guerilha do Araguaia nos anos 70. Irmãs do desaparecido Antônio Castro, o ‘Raul do Araguaia’, Eliana e Mercês Castro lançaram manifesto nas redes.

Memória
As irmãs pedem apoio para que os lugares identificados como pontos de tortura e luta sejam tombados pelo patrimônio histórico. Na Casa Azul (Marabá-PA) e as bases militares de Xambioá e São Domingos do Araguaia (Bacaba) podem ter sido torturados mais de 5 mil, com centenas de mortes, relatam.

Medo e revolta
A ONG Repórteres sem Fronteiras denunciou que a editora de Correspondentes da TV Globovisión, em Caracas, Nairobi Pinto, foi sequestrada por dois homens encapuzados domingo. Não há notícias. Jornalistas têm sido alvos de milícias, polícia e de chaviztas.

JB eterno

O JB completaria ontem 123 anos. Um livro do ex-secretário de redação Alfredo Herkenhoff tem sido a bíblia de jornalistas e ex-leitores. ‘Jornal do Brasil – Pautas e Fontes’ pode ser adquirido pelo email alfredoherkenhoff@gmail.com

Carro novo

Na esteira do incentivo ao consumo promovido por Dilma, a Caixa promove de hoje a sábado o feirão de automóveis em concessionárias de 363 cidades, a juros baixíssimos.

Ponto Final

E viva a imprensa livre e a democracia!

Com Luana Lopes e Equipe DF e SP

TAGS