PUBLICIDADE
Notícias

Bonde de Roseana vira piada em Brasília

00:30 | 23/02/2014

As autoridades de Brasília estão estupefatas com a governadora Roseana Sarney (PMDB). Descobriram que ela e a equipe de Segurança do Maranhão estão mais perdidos que a população. A presidente Dilma soube que a governadora entregou uma lista aleatória de 33 nomes de detentos do chamado Bonde dos 40, para transferência do presídio de Pedrinhas. A lista foi pelo grau de periculosidade, porque Roseana não sabe quem são os líderes da onda de violência. O Ministério da Justiça não aceitou a lista e só começou a transferência após apelos de José Sarney.

 

Nem vem..
A assessoria do Palácio dos Leões alegou que não poderia falar sobre o assunto. Em meio à onda de violência, a filha da governadora foi assaltada num restaurante.


Troca-troca
Já houve três transferências, dias 20 de Janeiro, e 12 e 13 de Fevereiro. A indecisão sobre os transferidos é tamanha que alguns detentos foram trocados em cima da hora.


Seu Dr.
O secretário de Segurança, Aluísio Guimarães, figura com pose de delegado federal, mas virou alvo da categoria. Ele é agente policial, e já foi segurança de José Sarney.


A verdade

Para o Planalto, a rebelião não teve líder, e a situação só se acalmou porque Roseana mostrou que qualquer um deles poderia ir para longe de São Luís, sem regalias.


STF paga mal
Na Corte onde o presidente não gosta de jornalista e manda repórter chafurdar na lama, a categoria também é mal paga. Os salários dos jornalistas da TV Justiça no STF, terceirizados pela Fundação Renato Azeredo, são bem abaixo do mercado. A fundação recebe um bom valor mas abocanha parte da remuneração, por regra. Aceita quem quer.


Data Venia
Um cargo de editor de produção foi oferecido a pouco mais de R$ 2 mil, enquanto se paga, em média, R$ 8 mil na capital. O STF empurra a responsabilidade para a fundação, e alega ‘modelo de contratação por posto de trabalho’, e que a Corte ‘não atua nas relações trabalhistas entre a contratada e os seus profissionais’.


É de casa
A Fundação Renato Azeredo, com sede em Belo Horizonte – que não tem ligação com o deputado Eduardo Azeredo – foi procurada durante cinco dias pela Coluna, e seu diretor não se pronunciou. Ela já opera contrato com o Supremo há anos.


Venha ver, venha..
O senador Benedito de Lira (PP) pagou da cota parlamentar de Dezembro R$ 5 mil por ‘atividade parlamentar’ na Venha Ver Editora, para aparecer na Revista Alagoas.


Na telinha
Já o senador Cícero Lucena (PSDB-PB) não ficou atrás. Usou R$ 15 mil da sua conta do Senado, de Dezembro, para aparecer em programa de TV no Estado.


Pacote para Lençóis

Os ministros Gastão Vieira, do Turismo, e Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, visitam amanhã o parque dos Lençóis Maranhenses em companhia do empresário Guilherme Paulus, dono da CVC. Pretendem incentivá-lo a investir na região.


Tudo pronto
Gastão investiu via Ministério R$ 11 milhões no Parque, e conseguiu na Anac a liberação do Aeroporto de Barreirinhas para voos comerciais. Agora esperam atrair o setor de hotéis para incrementar o turismo na região.


Escândalo...
Polêmica na concessão do parque de Jericoacoara no Ceará, onde fica uma das mais belas praias do País. O deputado Raimundo Matos (PSDB) protocolou requerimento de audiência para cercar o Ministério do Planejamento e Instituto Chico Mendes.


.. no paraíso
Há projeto de construção de resort de grupo italiano nas dunas, em área de preservação ambiental, em frente um lago na cidade de Jijoca, perto do Parque de Jericoacoara – onde, quem levar a concessão, poderá cobrar R$ 60 por visitante.


Ah, presidente..

Foi o repórter Lúcio Lambranho, do Notícias do Dia quem revelou: o nome do deputado estadual Romildo Titon (PMDB), presidente da Assembleia de Santa Catarina, aparece 881 vezes no relatório do MP sobre o escândalo dos poços artesianos, enviado ao TJ.


Cadê a Rede?
E a Rede de Marina virou pó por enquanto. Nem ela fala mais no assunto, a despeito das 10 mil assinaturas que recolheu nos últimos meses.


Ponto Final
Nunca uma recusa de emprego custou tão caro. Após serem barrados pelo Facebook para estágio de US$ 1 mil, os criadores do WhatsApp foram enfim aceitos, mas cobraram... US$ 19 bilhões.
______________________________
Com Luana Lopes e Equipe DF e SP

TAGS