Participamos do

Camocim tem pousada de charme de nível internacional

10:24 | Jun. 23, 2016
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
Em pleno Centro Histórico da cidade de Camocim, está a Casa de São José, hotel de charme colonial, em meio a um jardim tropical. Possui quatro suítes e seis chalés, cuidadosamente decorados com peças raras e históricas importadas de Portugal. A Casa de São José é um dos poucos hotéis de charme do Nordeste, o que mostra o privilegia do Município.

Camocim fica a uma hora de distância de Jericoacoara, da Serra de Ibiapaba e do único delta a mar aberto das Américas — o Delta do Parnaíba.

É uma dica da Coluna para quem pretende visitar a região, com muito conforto e hospedagem de qualidade.

Para entidades de turismo, extinção do MTur é retrocesso

Informações divulgadas pelo jornal O Globo, em que o presidente em exercício, Michel Temer estaria com dificuldade para escolher outro nome para o Ministério do Turismo (MTur) — o que abriria a possibilidade de fundir o comando público do setor ou até mesmo extinguir os trabalhos do ministério — deixaram o trade turístico nacional apreensivo.

Uma carta endereçada a Temer, endossada pelas entidades CNTur, Abav, Abeta, Abrasel, Abrajet, ABBTur, Abrarj, Braztoa, Clia Abremar, FBHA, Fenactur, CBC&VB e o conselheiro indicado pela presidência da república, Guilherme Paulus (CVC e GJP), solicita que a pasta não seja extinta. Pede ainda que o seu titular tenha como representante um especialista, não só por conta das especificidades da indústria, como também pela proximidade dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que acontecem em agosto.

No trecho mais incisivo do documento, as entidades deixam claro que consideram um "retrocesso incompreensível" caso Temer decida não priorizar o Turismo como mais uma alternativa para superar a crise que o País vive.

Corrupção afasta a Ryanair do Brasil

A companhia aérea de baixo custo Ryanair anuncia que começará a voar na Argentina em 2017. Mas segundo declaração do dono da empresa aérea irlandesa, Declan Ryan, feita ao jornal argentino La Nación, a intenção da companhia é levar o serviço a toda a vizinhança, exceto ao Brasil, "porque há muita corrupção".

A empresa irlandesa revolucionou o conceito de viagem aéreo na Europa, por manter tarifas médias de US$ 50 e cobrar extras por tudo que não seja o assento e a bagagem de mão.

Para concretizar sua entrada na Argentina, a tática será comprar uma empresa local, segundo o jornal argentino, a Andes Líneas Aéreas. A Ryanair visa os mercados de Córdoba e La Plata, localizados a 50 quilômetros de Buenos Aires.

Para ser competitiva, a companhia procura usar aeronaves novas, com menor custo de manutenção, que tiram todo o supérfluo do preço fixo. Contam com um número menor de funcionários que cumprem várias funções e cobram de quem não faz check-in online. Seu alvo preferencial são passageiros de ônibus de longa distância.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente