PUBLICIDADE
Notícias

Fortaleza perdeu a oportunidade de ter um aeroporto de primeiro mundo

08:23 | 11/06/2015
NULL
NULL
A opção de ampliar o antigo Aeroporto Pinto Martins, e não investir em um novo terminal aéreo fora circuito central da capital cearense, foi um erro e um grande equívoco que pode ainda trazer grandes consequências para o Estado.

Entre 1995 e 1998, no segundo mandato de Tasso Jereissati, a equipe que assessorava na época o governo tinha todas as possibilidades de convencer o governador para construir, nos arredores da capital cearense, o principal terminal aéreo do Estado. Mesmo sem fazer comparação com as grandes capitais mundiais, os mais desenvolvidos centros brasileiros, a exemplo de São Paulo, Rio e Belo Horizonte ensinavam nessa direção.

Outro fator relevante também foi deixado de lado na época. O momento para o governo cearense era ideal tanto em termos financeiros como políticos para um novo aeroporto. Além da facilidade dos recursos oriundo do PRODETUR, através do BID com contrapartida do governo Federal, havia uma sintonia política de Tasso Jereissati com o então presidente Fernando Henrique Cardoso, ambos do PSDB.

Para tentar dissuadir Tasso da ampliação do Pinto Masrtins, existem relatos de empresários do turismo local, a exemplo de Demerval Diniz, que foram ao governador antes das obras serem iniciadas e se posicionaram contra a reforma do Pinto Martins. Faltou pensar grande.

Hoje, Fortaleza concorre com Natal e Recife na disputa para sediar o novo hub que o Grupo LATAM quem instalar no Nordeste. É um investimento estratégico e de extrema importância para a economia e para o turismo de qualquer uma das cidades que concorrem a sede do empreendimento.

Por falta de pensar grande no passado, para a capital cearense se manter competitiva na disputa, principalmente com o Rio Grande do Norte, que possui o aeroporto mais moderno dos três pretendentes ao hub, o Pinto Martins precisou ser incluído no programa de concessões anunciado esta semana pelo governo Dilma. Sem isso, não havia dinheiro para tal investimento.

Mesmo com a vantagem de Natal, por causa do novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante, já privatizado, não resta dúvida que a capital cearense é a mais estratégica para o grupo LATAM. A nova ampliação do Pinto Martins, como afirmou o secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, poderá se ajustar às necessidades do projeto. Também novos corredores de transportes estão projetados para interligar o terminal aéreo incluindo ônibus, VLT e metrô. O Pinto Martins precisará, logicamente, encontrar uma forma de ampliar sua pista de pouso e decolagem; também continuar “driblando a Lei do Silêncio”, que é imposta hoje a aeroportos que operam em áreas urbanas, a exemplo do Santos Dumont, no Rio, e de Congonhas, em São Paulo.

Inevitavelmente, cedo ou tarde, a capital cearense precisará ter o seu principal aeroporto afastado do centro da cidade. Mesmo que para isso o Pinto Martins possa se transformar no ‘mais moderno aeroporto executivo do mundo’.

REESTRUTURAÇÃO DA INFRAERO

No âmbito do programa de concessões, foi anunciada a reestruturação da Infraero com o objetivo é permitir que a empresa readquira sua capacidade de gestão e investimento, e tenha foco em seu negócio fim: a operação aeroportuária.

Ainda neste ano serão criadas duas subsidiárias: a Infraero Participações e Infraero Serviços. A Infraero Serviços terá um grande operador internacional como parceiro: a alemã Fraport, que opera o aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, além de Lima (Peru), Delhi (Índia) e St. Petersburgo (Rússia), dentre outros. Com a mudança, a Secretaria busca montar uma equação societária e financeira que permita a Infraero ser uma empresa forte mesmo com a política de concessões em curso.

A reestruturação contribuirá tanto para o aprimoramento da governança quanto para a melhoria do resultado financeiro da empresa, por meio da busca por novos negócios e novas receitas.

SÃO PAULO É O TERCEIRO DESTINO MAIS VISITADO DA AMÉRICA LATINA

A cidade de São Paulo acaba de ser considerada como um dos destinos mais visitados da América Latina, ocupando o terceiro lugar segundo o Índice MasterCard de Destinos Globais 2015. A capital foi a cidade brasileira mais bem colocada, à frente, inclusive, do Rio de Janeiro, que ocupa a sétima colocação no ranking.

A metrópole paulista tem expectativa de receber 2,5 milhões de visitantes internacionais ainda este ano, atrás apenas de Lima, que deve receber 4,2 milhões, e da Cidade do México, com previsão de 2,82 milhões de visitantes estrangeiros. Com esse título, a capital paulista confirma seu potencial para ser o principal destino da América Latina em poucos anos.

NOVO DONO DA TAP PODE SER CONHECIDO ESTA SEMANA

O Governo de Portugal está "próximo" de ter uma solução para a privatização da TAP. Desse no início desta semana à imprensa Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro português. Ele não se comprometeu com uma data do anúncio da decisão, mas admitiu que possa ser esta semana.

O prazo para que os dois concorrentes (David Neeleman, Azul, e Germán Efromovich, Avianca) oferecessem condições adicionais à compra da TAP através das suas propostas no âmbito da privatização terminou na passada sexta-feira (5).

De acordo com a imprensa de Portugal, na proposta final David Neeleman compromete-se a comprar 53 novos aviões para a TAP caso vença o processo de privatização. Já Germán Efromovich, prometeu colocar na TAP 38 novos aviões.

TAGS