PUBLICIDADE
Notícias

Praias do Nordeste são opção para quem programava passar o réveillon no exterior

12:43 | 26/11/2014
NULL
NULL
A alta do dólar está mudando os planos dos turistas brasileiros que pretendiam passar as festas de final ano no exterior. Ao invés de roteiros internacionais, a tendência é o brasileiro buscar como alternativa passeios domésticos. Nesse contexto, os balneários turísticos nordestinos, a exemplo de Porto de Galinhas, no litoral pernambucano, estão em alta.

Com estrutura turística de meios de hospedagens de padrão internacional (são aproximadamente 13 mil leitos distribuídos em hotéis, pousadas e resorts) e passeios comparáveis aos existentes no Caribe, no balneário pernambucano o mar se transforma em piscinas de águas cristalinas e mornas, a uma temperatura média de 26º C.

Fica no município de Ipojuca, e a 60 km do Aeroporto Internacional de Recife. A região também é rica em experiências gastronômicas, esportivas, ecológicas e culturais. O local é considerado o quinto destino mais procurado do Brasil para o turismo de lazer. Tanto que se tornou uma região mais famosa do que o nome do próprio município onde está situada - Ipojuca, que hoje responde pela terceira maior arrecadação do Estado de Pernambuco.

HOTELARIA DE PORTO DE GALINHA SE PREPARA PARA A FESTA

A coluna foi buscar informação sobre os preparativos da festa, ou seja: como os hotéis de Porto de Galinhas estão se preparando para o réveillon. Um dos mais sofisticados da região, o Summerville, pertencente à cadeia pernambucana Pontes Hotéis & Resorts, pretende fisgar o turista não só pela qualidade dos serviços, mas também “pela boca”. Veja os números da preparação do réveillon deste ano que o hotel enviou com exclusividade.

De frutos do mar (camarão, lula, lagosta e peixes) serão servidos um total de 300 Kg e de carnes (aves, bovina e suína) vão ser preparados 200 Kg. Ou seja, a festa conta com meia tonelada só desses itens. Isso sem falar da variedade de frutas frescas e secas e acompanhamentos diversos.

Para as sobremesas o hotel sugere quinze opções, a partir da tradicional cartola pernambucana preparada na hora, entre outras sugestões doces. Com relação a bebidas, estão programadas 50 garrafas de whisky, mil latas de cerveja e 90 garrafas de vinhos e Champagne.

De acordo ainda com o hotel, vão trabalhar na festa aproximadamente 230 colaboradores, entre cozinheiros e garçons. Somente profissionais contratados para a noite (entretenimento, recepção, segurança, governança e limpeza) chegam a 120. Ao todo são cerca de 350 pessoas envolvidas na virada de ano do Summerville.

ORIGEM DO NOME SURGIU NO SÉCULO 19
Embora a galinha tenha virado um ícone local nas ruas e lojas de artesanato, Porto de Galinhas não recebeu esse nome pela atividade de criação, tampouco pelo comércio das aves vivas. A história remonta ao ano de 1850, quando a lei então em vigor proibia o comércio de escravos no Brasil.

O desembarque clandestino na região era comum no século 19. Para combater a prática proibida, foi construído o Forte da Gameleira, do qual ainda restam ruínas em frente ao posto salva-vidas de Porto de Galinhas. Os navios atracavam com os porões cheios de escravos e uma forma de burlar a fiscalização era cobri-los com engradados de galinhas D’Angola, que também era ingrediente nobre da comida preferida da Corte.

A senha secreta da tripulação para os traficantes de escravos era “tem galinha nova no porto”, que significava que uma nova remessa deles havia chegado da África. E daí surgiu o nome Porto de Galinhas.

DESTINO UNE LITORAL E NATUREZA
Não é só o cenário paradisíaco de belas praias que motiva os brasileiros a conhecerem o balneário. A eclosão dos ovos de tartarugas e a possibilidade de ver minúsculos cavalos-marinhos a centímetros de distância também acontecem em Porto de Galinhas. Principal refúgio dessas espécies, a região reforçou sua vocação para o ecoturismo a partir do trabalho de duas organizações não-governamentais: a Ecoassociados, que trabalha na conservação de tartarugas, baobás (árvore de origem africana) e recifes de corais, e o Projeto Hippocampus de biologia, cultivo e preservação de cavalos-marinhos.

Em 2003, a Ecoassociados iniciou as atividades de preservação da tartaruga da espécie Eretmochelys imbricata, conhecida como “de pente”, a mais ameaçada de extinção, por ter seu casco usado na fabricação de pentes, joias e armações de óculos. A eclosão dos ovos ocorre nos meses de dezembro a fevereiro, período em que a região vira um verdadeiro berçário de tartarugas.

Já o Projeto Hippocampus, desde 2001, desenvolve estudos sobre a população de cavalos-marinhos de Porto de Galinhas. O objetivo é evitar a pesca proibida e o comércio de cavalos-marinhos como ornamentais, suvenires e para simpatias e remédios caseiros contra cansaço, asma e câncer. O cavalo-marinho é um peixe do gênero Hippocampus: tem um esqueleto externo, uma série de anéis ósseos que recobrem o corpo e um focinho que pode ser longo ou curto, onde fica a boca.

RIOMAR FORTALEZA OFERECE SERVIÇO EXCLUSIVO AO TURISTA
Para facilitar o acesso dos turistas que visitam a cidade de Fortaleza, o RioMar criou o Tourist Service. O serviço é exclusivo e oferece aos turistas de Fortaleza um ônibus executivo com atendimento de bordo, entrega de mimos personalizados e guias bilíngues.
O itinerário do Tourist Service conta com paradas de embarque em 15 hotéis da orla da Praia de Iracema e Av. Beira-Mar e no corredor turístico da Monsenhor Tabosa e da Av. Abolição.
Até chegar ao RioMar Fortaleza, o percurso segue pelos principais hotéis a orla da cidade: Marina Park Hotel, Praia Centro Hotel, Hotel Diogo, Ponta Mar Hotel, Quality Hotel Fortaleza, Mareiro, Luzeiros, Hotel Brasil Tropical, Hotel Oásis Imperial, Oásis Fortaleza, Praiano Hotel, Seara Praia Hotel, Comfort Hotel, Othon Palace e Gran Marquise.
O serviço funciona de segunda de domingo nestes horários: de segunda a sábado, partida dos hotéis às 10h, 15h e 19h, retorno aos hotéis às 13h30, 18h e 22h; aos domingos, partidas dos hotéis às 13h30 e duas opções de retorno: às 18h e às 20h.
Os turistas interessados em utilizar o Tourist Service procuram a recepção do hotel em que estão hospedados.
TAGS