PUBLICIDADE
Checagem O POVO
NOTÍCIA

São falsas as postagens afirmando que a votação foi fraudada em Fortaleza

Fotos do boletim impresso de uma urna, vídeos com supostos apoiadores de um partido "sequestrando" urnas ou andando com os equipamentos na rua após a votação não são provas de que as eleições foram sabotadas em Fortaleza. Imagens estão sendo compartilhadas nas redes sociais desde ontem

Flávia Oliveira
17:58 | 16/11/2020
Após denúncias de fraude nas eleições em Fortaleza, o caso foi levado à Polícia Federal (PF) (Foto: FÁBIO LIMA/O POVO)
Após denúncias de fraude nas eleições em Fortaleza, o caso foi levado à Polícia Federal (PF) (Foto: FÁBIO LIMA/O POVO)

As fotos de um boletim de urna que estão circulando nas redes sociais não são indícios de fraude nas eleições em Fortaleza, ao contrário do que afirmam mensagens e postagens compartilhadas na internet. A impressão do boletim de urna e a afixação para acesso ao público é o procedimento padrão após as 17 horas, com o encerramento da votação, e consiste em um comprovante físico do resultado da votação eletrônica, com informações como total de votos por partido e votos por candidato, além dos brancos, nulos e outros dados estatísticos da seção. A publicação desses resultados permite que fiscais de partidos e a população em geral façam uma auditoria dos votos existentes em todas as urnas na seção eleitoral. As mesmas informações ficam disponíveis no aplicativo Boletim na Mão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Outra informação falsa se refere a vídeos nos quais um caminhão com urnas deixa um local de votação na noite de domingo. A Polícia Militar recebeu denúncias de que homens vestindo amarelo (cor de uma coligação postulante à Prefeitura) estavam levando urnas para veículos particulares, levantando a suspeita de que se tratava de uma fraude eleitoral. Após denúncias, o caso foi levado à Polícia Federal (PF). No entanto, o coordenador da PF na Operação Eleições 2020 no Ceará, Paulo Henrique Oliveira Rocha, afirmou que as denúncias não possuíam fundamento pois o transporte das urnas não foi feito pela coligação e que o procedimento era padrão.

“O que houve foi uma denúncia que, no fim das contas, demonstrou ser sem fundamento. Uma guarnição abordou o caminhão e achou por bem levar para a superintendência para a verificação. Chegando lá, foi verificado que era um procedimento de recolhimento de urnas regular, dentro do planejamento do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e por todos os TREs do Brasil no final da votação. Há um veículo que sai recolhendo para guardar em um depósito do Tribunal. Não há nada irregular na conduta do caminhoneiro que foi abordado pela PM", disse o delegado.

Após o encerramento da votação e a extração das informações gravadas nas urnas, os equipamentos deixam de ter importância na apuração. Isso acontece porque os dados de cada urna eletrônica são codificados em mídias de memória removíveis. Após a eleição, essas mídias são transportadas até um local da zona eleitoral. Depois, ela é aberta e tem a sua autenticidade verificada. Somente a partir daí os dados são transmitidos, por canais próprios, ao respectivo TRE, que os retransmite ao TSE. (Com Redação O POVO)

Eleições em Fortaleza: Sarto e Capitão Wagner no 2º turno

José Sarto (PDT) e Capitão Wagner (Pros) estão definidos no segundo turno para a disputa pela Prefeitura de Fortaleza. Juntos, os dois candidatos somaram mais de 882 mil votos.

+ Eleições 2020: como ficou a votação dos vereadores de Fortaleza 

O pedetista recebeu 35,72% dos votos válidos, sendo o mais votado. Já o candidato do Pros teve 33,32%, confirmando o segundo turno. Luizianne Lins (PT) ficou em terceiro com 17,76%, seguido por Heitor Férrer (SD), 4,93%, e Célio Studart (PV), 3,54%.

+ Eleições 2020: confira votação por zona eleitoral em Fortaleza

Na sequência, estão Renato Roseno (Psol), com 2,68%; Heitor Freire (PSL), com 1,66%, Anízio Melo (PcdoB), com 0,18%, Samuel Braga (Patriota), com 0,14% e Paula Colares (UP), com 0,07%.

Veja quantos votos cada candidato recebeu:

José Sarto (PDT) - 457.622

Capitão Wagner (Pros) - 426.803

Luizianne Lins (PT) - 227.470

Heitor Férrer (SD) - 63.199

Célio Studart (PV) - 45.369

Renato Roseno (Psol) - 34.346

Heitor Freire (PSL) - 21.210

Anízio Melo (PcdoB) - 2.264

Samuel Braga (Patriota) - 1.749

Paula Colares (UP) - 893

>> ACOMPANHE AQUI A COBERTURA POLÍTICA FEITA PELO O POVO

Demora em atualização da apuração de votos

A apuração de votos em todo Brasil sofreu atraso. Em Fortaleza, houve demora de cerca de duas para ocorrer atualização de dados. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se pronunciou por meio de nota sobre a lentidão no processo de totalização dos votos.

"Os dados estão sendo remetidos normalmente pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e recepcionados normalmente pelo banco de totalização, que está somando o conteúdo de forma mais lenta que o previsto.

O problema está sendo resolvido pelos técnicos, para a retomada mais célere do processo de divulgação.

Ressaltamos que não há nenhuma relação com o vazamento de dados pessoais de servidores e nenhuma relação com a tentativa de ataque cibernético registrada pela manhã."

MAIS SOBRE ELEIÇÕES 

Eleições 2020: entenda o que é um empate técnico nas pesquisas

Entenda o que são margem de erro e intervalo de confiança nas pesquisas

Saiba como justificar ausência pelo aplicativo de celular E-Título

ELEIÇÕES 2020: A candidatura de vereadores

Além de candidatos ao Paço Municipal, são cerca de 1,3 mil candidatos ao posto de vereador ou vereadora em Fortaleza. No Ceará, o número se aproxima de quase 16 mil concorrentes. Mas o que de fato um vereador pode ou não prometer?

Diante da pandemia do novo coronavírus, o processo eleitoral no Ceará passou por algumas mudanças de horário e de protocolos sanitários. Além disso, em virtude do novo vírus, o candidato eleitoral de 2020 precisou ser alterado ainda em julho, por conta da crise gerada pela Covid-19.

Apesar das alterações, todo cidadão brasileiro alfabetizado, maior de 18 anos e legalmente capaz é obrigado a votar. O voto é facultativo para os eleitores analfabetos, os maiores de 70 anos, e os que têm entre 16 e 18 anos. Aqueles que não compareceram às urnas neste domingo devem justificar a ausência dentro do prazo estimado pela Justiça eleitoral, caso contrário ficará impossibilitado de emitir passaporte e carteira de identidade entre outras coisas. 

LEIA MAIS | O que acontece se o eleitor não votar? Saiba como justificar ausência

SAIBA MAIS SOBRE AS ELEIÇÕES 2020

>> Auxílio emergencial: Ceará tem 166 candidatos com patrimônio acima de R$300 mil na lista de beneficiários

>> Confira os resultados de todas as pesquisas para prefeito de Fortaleza